Com tese de fraude, Bolsonaro diz desconhecer sistema de voto igual ao do Brasil

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Bolsonaro que votar em céwdulas, parA MANIPULAR Bolsonaro quer votar em cédulas para manipular

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta segunda-feira (16) desconhecer um país que utiliza um sistema de votação igual ao Brasil.

Apesar da declaração, 31 países utilizam um sistema de voto eletrônico , em eleições nacionais nacionais ou regionais. O levantamento foi feito pelo International Institute for Democracy and Electoral Assistance (IDEA) com 178 países.

Sem apresentar provas, Bolsonaro diz que houve fraude nas eleições de 2018.

Em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que o sistema de votação precisa ser ” confiável ” e não pode “deixar margem para dúvidas”.

Contudo, o presidente não explicou porque o sistema não é confiável. Em março, Bolsonaro disse que “brevemente” iria apresentar provas de que houve uma “fraude” nas eleições de 2018 , mas até agora não mostrou nenhuma evidência.

“Temos que ter um sistema de apuração que não deixe dúvidas . É só isso. Tem que ser confiável e rápido. Não deixar margem para dúvidas. Agora, é um sistema que desconheço no mundo onde ele seja utilizado”, disse Bolsonaro nesta segunda-feira.

De acordo com o levantamento do IDEA, 16 países utilizam um sistema eletrônico de votação em eleições nacionais, 15 usam em eleições regionais e cinco utilizam em ambas.

Duas nações utilizam o sistema em outros tipos de eleições, enquanto 144 não usam qualquer tipo de votação eletrônica.

Em outro levantamento, o IDEA mostrou que 15 países utilizam urnas eletrônicas , com ou sem a impressão do voto para permitir uma auditoria.

Fazem parte dessa lista, além do Brasil, os Estados Unidos (que utilizam urnas em alguns estados), a França, a Índia, o Peru e a Rússia, entre outros.

Nesta segunda, Bolsonaro voltou a defender a utilização do voto impresso , mas lembrou que o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou a proposta inconstitucional.

“Tenho proposta, tive, (mas) o Supremo disse que é inconstitucional o voto impresso. Tem Proposta de Emenda à Constituição na Câmara. Se não tivemos uma forma confiável de apurar as eleições a dúvida sempre vai permanecer”, afirmou.

Agência O Globo

OUTRAS NOTÍCIAS