Da Odebrecht para Temer, em pleno Jaburu: R$ 10 milhões em dinheiro vivo

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Era mesmo José Yunes o calcanhar de  aquiles de Michel Temer, como  devido perdão a Aquiles.

Claudio Melo Filho, ex-vice-presidente de relações institucionais da Odebrecht disse, em sua delação, que entregou R$ 10 milhões em dinheiro vivo num escritório na Rua Capitão Francisco, nº 90, em São Paulo.

O escritório de José Yunes, amigo e autodefinido como “psicoterapeuta político” de Michel Temer.

Hoje, seu assessor no Planalto.

Melo Filho diz que o “mimo” foi acertado pelo próprio Marcelo Odebrecht em encontro com o então vice-presidente, em pleno Palácio do jaburu.

A capa da Veja, que traz o depoimento de Melo Filho, porém, não tem a foto de Temer.

“Privilégio” que dá a Lula e a Dilma com acusações nem de longe tão graves.

E se tudo era mesmo para campanhas políticas, por que não doar legalmente, por que exigir em dinheiro vivo?

A pergunta, agora, é até que mês de 2017 Temer ocupará o Planalto?

Vai dar aquela “varridinha” de mão, que sempre acompanha suas falas fazendo pouco caso dos “fatosinhos”  que levam nosso país à ruína.

Não há blindagem que resista a este canhonaço. (Fernando Brito)

Perguntamos a revista ISTOÉ. ESSE É O HOMEM DO ANO NO BRASIL?

O prêmio concedido pela revista demonstra o grau de comprometimento com a corrupção e os corruptos homenageados.

Estamos diante da considerada grande mídia desse país, que se associou aos golpista, oportunistas e corruptos desse país. (cljornal)

OUTRAS NOTÍCIAS