Desemprego no Brasil atinge 7,1 no primeiro trimestre segundo PNAD Contínua

Nos três primeiros meses deste ano, a taxa de desemprego do país está em 7,1%, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada nesta terça-feira pelo IBGE. O índice é menor em relação ao mesmo período de 2013, quando o desemprego medido pela pesquisa havia sido de 8%. No entanto, é maior que o apurado no quarto trimestre do ano passado, cuja taxa ficou em 6,2%.

 

Pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME), também do IBGE, mas cuja amostra é menos abrangente, a desocupação acumulada no trimestre ficou em 5%, o melhor resultado trimestral desde o início da série.

 

A principal diferença entre a PME e a Pnad Contínua é a abrangência da pesquisa. A PME acompanha o mercado de trabalho nas seis maiores regiões metropolitanas brasileiras. Já a Pnad Contínua dá um retrato mais amplo e levanta dados de 3.464 municípios.

 

Até então, os dados nacionais a respeito de mercado de trabalho só eram pesquisados uma vez ao ano, pela Pnad antiga, e a divulgação ocorria com um ano de defasagem. A abrangência também era menor: 1.100 municípios.

 

Ainda segundo a Pnad, a população desocupada ficou em 7 milhões, um aumento de 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado, e de 0,3% na comparação com os últimos três meses de 2013. Já a população ocupada caiu 9,7% em relação ao primeiro trimestre do ano passado e 0,7% frente ao quarto trimestre, somando 91,2 milhões.

 

Entre os empregados no setor privado, 77,7% tinham carteira assinada, um avanço de 1,6 ponto percentual em relação ao primeiro

Fonte: Reuters/ Foto: web.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS