Fraudes em convênios podem envolver mulher do ministro do Trabalho

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Investigação pedida pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Santa Catarina ao Tribunal de Contas da União (TCU) apura denúncias que ligam a mulher e o chefe de gabinete do ministro do Trabalho, Manoel Dias (PDT-SC), a fraudes em convênios ligados à pasta.

 

Dalva Maria de Luca Dias, que é presidente do PDT em Florianópolis, foi secretária estadual de Assistência Social, Trabalho e Habitação do Estado de maio de 2007 a julho de 2010 – período durante o qual teriam ocorrido as irregularidades. O atual chefe de gabinete do ministro, Rodrigo Minotto, ocupava, na época, o cargo de coordenador do Sistema Nacional do Emprego (Sine) no Estado.

 

De acordo com auditores do TCE que investigaram os convênios, houve aprovação de gastos que não tinham “caráter público”, mas eram despesas “ilegítimas e genéricas”. Segundo relatórios do TCU, a secretaria estadual chefiada por Dalva favoreceu três entidades – uma delas ligada ao PDT – em convênios de R$ 2,1 milhões.

 

As instituições faziam parte do Programa Estadual de Qualificação Profissional, e eram responsáveis por dar cursos profissionalizantes. Dos R$ 2,1 milhões previstos, 83% vinham do Ministério do Trabalho – que, na época, era chefiado por Carlos Lupi (PDT-RJ).

 

Fonte: Redação/ Bahia Notícias

OUTRAS NOTÍCIAS