Garoto suspeito de matar a família citou massacre de Amityville no Facebook

Suspeito de matar quatro membros da família, entre eles os pais policiais militares, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13 anos, fez uma postagem em rede social, no ano passado, em que citava o massacre de Amityville. O caso aconteceu em 1974, nos Estados Unidos. Um jovem de 23 anos matou os pais, dois irmãos (de 9 e 12 anos) e as irmãs (de 13 e 18 anos).

 

A postagem do adolescente pode ajudar a traçar um perfil dele e reforçar a tese da polícia. A principal linha de investigação aponta o menino como o principal suspeito da morte dos pais, da avó e da tia-avó. Os cinco corpos, incluindo o do menino, foram encontrados no começo da noite de segunda-feira (5), dentro de casa, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo.

 

Nesta sexta-feira (9), a polícia ouviu mais depoimentos – de professores e parentes. O professor de educação física do menino foi um deles e confirmou que o aluno era canhoto. A informação é do presidente da Comissão de Segurança Pública da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil), Arles Gonçalves Júnior, que estava presente durante a oitiva.

 

A informação é importante porque reforça a tese da polícia de que o jovem era canhoto, o que justificaria a arma usada para matar a família estar na mão esquerda do garoto e o tiro ter sido disparado do lado esquerdo de sua cabeça, o que caracterizaria o suicídio. Familiares haviam contestado a versão da polícia e afirmaram achar que o menino era destro.

 

 

 

 

 

 

Fonte: R7

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS