Tempo - Tutiempo.net

Jair, o Messias, vomita fúria

Em encontro com empresários de supermercados Jair vomita fúria e palavrões

Quem acompanha futebol sabe que o maior sinal de que um time está apavorado com a derrota é distribuir botinadas.

E é o que faz, cada vez com mais desequilíbrio o sr. Jair Bolsonaro, como acaba de mostrar num evento da Associação Brasileira de Supermercados – aliás, um antro de reacionários faz décadas.

“Bolsonaro discursa aos gritos, usa palavrões e diz a empresários que eleição pode ser conturbada“, diz a chamada da Folha.

Pode ser conturbada?

Será que ele acha que não está sendo, com um presidente que chama o Ministro da Defesa e as Forças Armadas a se arrogarem “fiscais” do processo eleitoral e até sugerir que militares façam a apuração dos votos?

Lamentou-se de que ‘“em mais da metade do meu tempo, eu me viro contra processos.”

No que resta, claro, dedica-se a andar de a jet sky , de moto, a cavalo, visitar cultos e formaturas militares.

Diz que “Deus que está no céu” não vai permitir que seja preso, o que sugere ser a intenção de Lula:

“Eu vi o ‘nine’ [referência aos 9 dedos de Lula] falando que eu vou perder a eleição e vou perder minha família. Está achando que vai me intimidar, pô? Dando recado…”

O fantasma de ser preso não devia afligir um homem à prova de qualquer suspeita como ele, não é?

Despejando palavrões como perdigotos, Bolsonaro disse aos empresários que, mesmo não sendo “o fodão”, já mostrou que tem pulso firme para dirigir o país, sem esclarecer para onde.

Não devem ter sido poucos os presentes a sentirem no ar o cheiro do medo, em geral a raiz profunda da fúria.

A certeza mais concreta do encontro foi que ele conseguiu afastar vários empresários, antes aliados.

Fernando Brito

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS