Tempo - Tutiempo.net

Maçonaria e a dúvida do profano/ Carlos Lima

Profano em iniciaçãpo

Esta semana fui surpreendido por um profano, com provável, interesse em ser ‘iniciado’. Depois de vários encontros, e resistência da esposa, ele me trouxe uma pergunta, que inicialmente deixa claro ser uma certeza

– Porque a Maçonaria é inconciliável com o   evangelho?

Essa afirmação não pode ser considera absurda, mesmo com todas informações existentes na internet, nas redes sociais, em livros, se considerarmos que existe muita informação inverídica.

É plenamente normal que o desconhecimento gere algum tipo de crença na divulgação de fake News.

Na realidade a Maçonaria não pode ser plenamente conhecida e entendida pelos profanos (por quem não é Maçon)

É compreensivo entender tal situação.

Porque um ateu, na maioria das vezes tenta ridicularizar as magnificências da Igreja Católica, e da Santíssima Trindade.

Talvez seja que a doutrina Cristã é encarada como grandes fantasias que se tornaram o ‘ópio do povo’.

Simplesmente perguntei: Como você está hoje?

Qual o impossível que você precisa? Tenha um momento pessoal com Jesus, encontrando-O na Palavra. Queira se aproximar dEle, pois ao fazer isso, você fica cheio dEle.

Mas não se aproxime do Senhor pela ação que Ele faz em sua vida! Encha-se dEle, assim como o copo cheio de água, colocando-o [copo] à disposição para estar cheio do Espírito com esta Água Viva. Não o deixe vazio. Esvaziar-se do vazio para se encher de Deus. pecados, da falta de perdão, de suas vontades, daquilo que não fizeste de não pode expor para a família.

Você faz isso por que frequentou a Igreja e seu pastor ou o padre lhes ensinou. Por que sua família era cristã e lhe encaminhou para a Fé, você faz isso por que foi instruído e aprendeu com a Bíblia.

Você não é Maçon, não frequenta a oficina, não leu nada e não estudou o que é ser Maçon. Você desconhece a realidade Maçônica, ou ouviu falsas informações de inimigos da “Ordem”, dissidentes e provavelmente daqueles que se distanciam dos homens de bem.

Diante da realidade, não se deve julgar as religiões pela vida talvez desumana, dos seus membros, igualmente não se deve julgar a Maçonaria pelos erros, equívocos, falhas e crimes, por ventura praticados alguns maçons.

Tudo faz parte de todos os seguimentos onde o ser humano está envolvido.

Essa pergunta afirmativa do neófito, também pode ser considerada como uma deturpação que objetiva o combate aos maçons e não a Maçonaria, por que ele mesmo não sabe, nem verdadeiramente, o que seja a prática Maçônica.

Fiquem um pouco pensativo para não acionar o emotivo e causar desequilíbrio, ou seja: perder a paciência.

Disse-lhe: Meu amigo, se a Maçonaria não presta para os cristãos, não vai prestar pra    mais  ninguém, assim como diz o ensino de Jesus Cristo, que                                                                                                                                                                                                                                                                                                                       só devemos “fazer aos outros o que queremos que os outros nos Façam”,9S. Mateus 7:12)

O profano inicialmente precisa ter ciência de que a Maçonaria é a associação de indivíduos que se empenha, sob juramento, em guardar inviolavelmente os segredos da sua Ordem, reconhecendo-se por meios de sinais particulares e tornando-se irmãos.

E também saber que jamais foi autorizado, nem autorizará a qualquer pessoa, nem consta de seus símbolos, ritos e de sua Constituição, que a Maçonaria seja classificada como religião, além de respeitar todas elas.

Os conhecimentos posteriores, o ex-profano vai adquirir  trabalhando em sua Pedra Bruta.

No entanto, saiba não existir nenhum impedimento para suas pesquisas, estudos e tralhados

Carlos Lima – Sim 914 – Goba

 

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS