Microempreendedor nordestino tem saído do mercado informal

Do total das empresas abertas, 75% são micro e pequenas. E a Região Nordeste responde pela abertura de 900 empresas por dia. Um total de 338.637 de janeiro a dezembro do ano passado. A pesquisa ainda demonstra que o Nordeste é a segunda região do país com o maior número de empresas abertas em 2013, com 18,4% do total.

Os estímulos oferecidos pelo governo federal para diminuir a informalidade de pequenos empreendedores, como, por exemplo, a criação do registro de Micro Empreendedor Individual (MEI), parecem estar dando resultado. Só no ano passado, segundo estudo da empresa de crédito Serasa Experian, 1.840.187 empresas foram criadas no país. Um crescimento de 8,8% em relação a 2012.

  
A formalização do pequeno empreendedor individual possibilita, por exemplo, que ambulantes tenham máquina de cartão de crédito, eletricistas tenham a própria nota fiscal e cabeleireiros consigam crédito como pessoa jurídica, mesmo não tendo salão.

A região com o maior número de empresas abertas no período é o Sudeste, que contabilizou 931.736 (ou 50,6% do total) de novos registros.

Autor da pesquisa, o economista da Serasa Experian Luiz Rabi aponta a desburocratização do processo de abertura de pequenas empresas e o acesso a créditos oferecidos por bancos públicos como fatores que impulsionaram o crescimento de registros no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica.

“O Nordeste, há um bom tempo, vem crescendo acima do que o Sul e o Sudeste. Pessoas que antes trabalhavam na informalidade estão se tornando MEI, o que facilita o acesso a crédito bancário”, afirma. Ele lembra que esses créditos têm sido a principal alavanca da economia dos últimos dez anos.

Processo para se tornar MEI pode ser feito todo pela internet

Se você tem um negócio próprio, com até um funcionário, e fatura no máximo R$ 60 mil por ano, a legalização é fácil. Dá para se tornar um microempreendedor individual (MEI) sem sair de casa. “Dá pra fazer tudo pela internet, através do Portal do Empreendedor, mas tem que tomar cuidado para não esquecer de imprimir os documentos para o caso de você precisar apresentar em algum órgão público”, orienta Isabel Ribeiro, que é gerente da Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae Bahia.

 

Mas só pode se tornar um MEI quem não participa de outra empresa como sócio. Ao se formalizar, o microempreendedor individual deverá arcar com o pagamento mensal do INSS de R$ 36,20, acrescido de R$ 5, se for prestador de serviço, ou R$ 1, para quem atua no comércio e indústria. O pagamento é feito por meio de carnê a ser emitido no Portal do Empreendedor.

 

 

Fonte: Redação: pesquisa Correio 24hs/ Foto: web

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS