Tempo - Tutiempo.net

Petróleo dispara e Petrobras já fala em aumentar lucro de acionista

Lucro dos acionistas as custas do povo

O início de uma operação militar russa na Ucrânia na madrugada desta quinta-feira (24) fez com que o preço do petróleo no mercado internacional disparasse.

O barril do óleo tipo Brent passou a valer mais de 100 dólares pela primeira vez em sete anos e chegou a alcançar a casa dos 105 dólares, subindo mais de 7% num só dia.

O aumento do petróleo influencia diretamente o custo dos combustíveis. Economistas já esperam uma alta no preço da gasolina.

Só durante 2021, o preço do petróleo subiu 38% –de 44,23 dólares para 60,90 dólares. Neste mesmo período, o preço médio da gasolina subiu 46% nos postos, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Essa alta do petróleo, porém, ajudou a Petrobras a registrar o maior lucro de sua história em 2021. De acordo com resultados da estatal divulgados na quarta-feira (23), foram R$ 106,6 bilhões em lucro líquido, já descontados os impostos –alta de 1.400% em relação a 2020.

O ganho foi tanto que a estatal resolveu aumentar em R$ 37,3 bilhões o valor dos dividendos –uma espécie de participação nos lucros– que pagará a seus acionistas com base dos resultados de 2021, totalizando R$ 101,4 bilhões. E, devido à disparada no preço do petróleo, é possível que esse valor seja ainda maior em 2022, segundo a própria Petrobras.

Na manhã desta quinta-feira, diretores da estatal reuniram-se de forma virtual com investidores e representantes de bancos.

A conferência foi convocada justamente para que executivos explicassem a acionistas os resultados da estatal em 2021 e tirassem eventuais dúvidas sobre perspectivas acerca dos negócios da companhia.

O preço do petróleo e sua influência no custo dos combustíveis foi questionada.

Diretores da Petrobras afirmaram, num primeiro momento, que é cedo para mensurar quanto a disparada do óleo mudará o preço da gasolina no Brasil.

“Estamos num momento de pico da volatilidade e de extrema incerteza”, afirmou Cláudio Mastella, diretor executivo de Comercialização e Logística da Petrobras. “Temos que continuar observando.”

Na mesma conferência, porém, Rodrigo Alves, diretor executivo Financeiro e de Relacionamento com Investidores, sinalizou que a alta do petróleo no mercado internacional é benéfica para os ganhos da Petrobras.

Disse ainda que, se ela impulsionar o lucro da empresa, é possível que acionistas da estatal ganhem dividendo ainda maiores.

“Sempre que houver espaço para uma distribuição adicional de lucros, o nosso entendimento é fazer a distribuição adicional”, afirmou Alves.

De acordo com a própria Petrobras, mais de 44% dos acionistas da empresa não são brasileiros. Os investidores brasileiros detém cerca de 19% do capital da empresa. O governo controla outros 37% das ações.

Lucro para quem?

Simone Deos, professora do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e presidente do Conselho do Instituto de Finanças Funcionais para o Desenvolvimento, questiona essa busca da Petrobras pelo lucro mesmo quando ele causa impactos negativos para a população.

“Acho que a sociedade precisa refletir de forma mais crítica sobre o tema das privatizações e da lucratividade das empresas”, disse ela.

“Qual o benefício para a sociedade com o lucro recorde da Petrobras? O aumento dos combustíveis causa inflação.”

Dados apresentados pela Petrobras indicam que a empresa deu um retorno de R$ 230 bilhões à sociedade com suas atividades em 2021. Esse valor é quase R$ 100 bilhões maior do que o registrado em 2020 e é composto por dividendos, tributos e participações governamentais pagos pela companhia.

O economista e pesquisador do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep), Henrique Jager, disse que o aumento do preço do petróleo ainda vai depender da extensão do conflito entre Rússia e Ucrânia.

Segundo Jager, Rússia é um país importante na indústria mundial do petróleo e, por isso, o preço do óleo aumentou com o início da operação militar russa na Ucrânia.

Jagger lembrou também que, desde 2016, durante o governo de Michel Temer (MDB), a Petrobras mantém uma política de preços vinculada ao mercado internacional. Ele disse que essa política até tem sido suavizada mais recentemente.

Mesmo assim, os lucros da Petrobras são altos e devem se manter assim ou até aumentar.

“O patamar dos preços atualmente já garante lucros recordes para a Petrobras. Se subirem os preços, os lucros subirão mais ainda.”

 

Vinicius Konchinski

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS