Planalto quer fechar empresa que facilitar espionagem

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

A presidente Dilma Rousseff quer incluir na legislação brasileira um dispositivo que permita suspender a operação de empresas que cooperarem com esquemas de espionagem internacionais. A gestora também encomendou o fortalecimento da rede interna de comunicação do governo, pois ainda hoje muitos de seus auxiliares usam serviços vulneráveis como o Gmail.

 

As medidas foram discutidas nesta segunda-feira (2), em reunião da cúpula do governo federal diretamente envolvida no caso das suspeitas de espionagem dos EUA. “Pode ser banco, empresa de telefonia. Se cooperarem com esses esquemas, terão a licença de operação aqui no Brasil cancelada”, adiantou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

 

O dispositivo deve ser incluído no marco civil da internet, em discussão no Congresso, ou no projeto de lei de segurança de dados pessoais, que está em elaboração pelo governo. Também devem passar a constar no texto a obrigação, por parte de sites estrangeiros, de armazenar dados de brasileiros no Brasil, guardados atualmente nos EUA.

 

Fonte: Lu Aiko Otta/ Agência Estado

OUTRAS NOTÍCIAS