Uma pergunta que não cala, por que Cunha ainda não está preso?

Quando será?

Os que acompanham minha página no Facebook já sabem que pedi de presente ao Papai Noel a prisão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Oxalá o bom velhinho realmente não se esqueça de ninguém – seja rico ou seja pobre; seja progressista ou reacionário; legalista ou golpista.

Porém, desejos de Natal à parte, já estou ficando encafifado com essa demora de ver decretada a prisão desse parlamentar, dessa “excelência”.

Porque nunca será demasiado lembrar, até um senador da República já foi preso recentemente: o petista (e líder do governo) Delcídio do Amaral. Foi preso, também recentemente, até o banqueiro André Esteves, garoto prodígio e ídolo dos financistas brasileiros – ídolo daquela turminha de inconsequentes e inescrupulosos, os “anjos” do capitalismo financeiro, uma espécie de versão tupiniquim dos Wall Street Boy’s .

Estão todos na cadeia.

Sem falar na prisão de Marcelo Odebrecht, Léo Pinheiro, Dalton Avancini, Dario Queiroz Galvão, dentre outros, grandes empreiteiros, e antes “intocáveis”, acima de qualquer suspeita, que cometeram a “temeridade” de fazer negócios “mais ou menos escusos” com a turma do PT, e foram, como consequência disso, ver o sol nascer quadrado. Ou seja: caíram em desgraça. Algo impensável quando faziam esses mesmos negócios, “um tanto escusos”, digamos assim, com a turma do PSDB e/ou com governos tucanos.

E pensar que, antes, só pretos, pobres e putas eram presos neste país.

E petistas, devemos acrescer a essa lista de tristes e desgraçados “pês”. E os amigos [dos petistas]. E os que fazem negócios com os petistas – também, é prudente acrescentar à lista.

Portanto, estou encafifado mesmo com essa demora em se prender o deputado Eduardo Cunha.

Por que será?

Porque ele não é amigo dos petistas?

Porque não fez negócios (escusos) com estes?

Ou seria porque ele sabe demais sobre as bandas podres que corrompem e “empesteiam” os três poderes da República?

Sim, porque, cá entre nós, chega a ser um verdadeiro ACINTE que este senhor ainda esteja gozando de liberdade.

Chega a ser uma VERGONHA – até aos olhos do mundo que nos observa – que este senhor, acusado de tantos, tamanhos, reiterados e inúmeros crimes esteja, ainda hoje, sentado na cadeira de presidente da Câmara dos Deputados. Ocupando a segunda posição na linha sucessória.

Como se zombasse e tripudiasse de nós, cidadãos brasileiros.

E ainda tem direito a mais de 20 minutos em horário nobre na Globo News – para fazer sua pregação enganosa. Com que autoridade?!

Até parece que o Brasil é, de fato, uma terra sem lei, sem autoridade, sem responsabilidade. Sem moral.

Até parece que o Brasil é, de fato, uma república de bananas – e não me refiro exatamente à fruta.

Sim, porque, veja bem, Eduardo Cunha não está sendo acusado por mim – ou por você ou por algum outro jornalista ou cidadão, de modo leviano, inconsequente. Ele foi acusado, primeiramente, pelo Ministério Público da Suíça (ou o equivalente), que remeteu ao Brasil farto material comprobatório da prática de crimes.

Depois, ele foi acusado de ter recebido R$45 milhões do banqueiro André Esteves – este, como se sabe, e já foi dito aqui, já foi devidamente encarcerado – mas já está solto.

Agora, o “ilustre” parlamentar, que, insisto, relembro-lhes, ocupa a Presidência da Câmara dos Deputados do Brasil, foi acusado de ter recebido R$52 milhões em propinas em negócios escusos, criminosos.

Sem falar que este senhor já é acusado de cometer falcatruas desde o governo Collor – ou seja, desde 1990! Portanto, lá se vão cerca de 25 anos de práticas criminosas e impunidade!

Só me/nos resta perguntar aos ministros do Supremo, ao Procurador-Geral da República e aos demais magistrados e operadores do Direito desse país:

Por que mesmo o deputado Eduardo Cunha ainda não está preso?

LULA MIRANDA

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS