Após negativa da Índia, governo quer ‘confiscar’ CoronaVac do Butantan

Governo Bolsonaro quer confiscar vacina

O Ministério da Saúde enviou na tarde desta sexta-feira, 15, um ofício ao Instituto Butantan requisitando a entrega imediata das seis milhões de doses da vacina CoronaVac.

O “confisco” ocorre após a Índia informar ao governo brasileiro que não poderá atender o pedido de compra de dois milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford, anunciada com alarde por Bolsoanro.

“Solicitamos os bons préstimos para disponibilizar a entrega imediata das 6 milhões de doses importadas e que foram objeto do pedido de autorização de uso emergencial pela Anvisa”, diz o documento assinado pelo diretor do departamento de logística em Saúde da pasta, Roberto Ferreira Dias, e endereçado ao diretor-geral do Butantan, Dimas Covas.

A nota ressalta ainda “a urgência na imediata entrega” das doses “tendo a logística de distribuição para todos os estados” do imunizante de “maneira simultânea e equitativa, conforme cronograma previsto no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a covid-19, tão logo seja concedido a autorização pela agência reguladora, cuja decisão está prevista para domingo, dia 17 de janeiro de 2021”.

Logo após receber o oficio, o governo de São Paulo questionou o Ministério da Saúde sobre quantas doses da vacina CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Butantan, serão destinas ao estado no Plano Nacional de vacinação.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) analisará no domingo, 17, os pedidos de uso emergencial de duas vacinas contra a Covid-19 no Brasil –CoronaVac e a de Oxford.

O governo Bolsonaro está perdido e sem logística adequada para distribuição e vacinação. É um desastre total.

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS