Tempo - Tutiempo.net

Homem de confiança de Pazuello vira réu por acusação de estupro contra a neta

Eduardo Pazuello e Airton Antônio Soligo, conhecido como Cascavel

Após a Justiça de Roraima transformar em réu Airton Soligo, mais conhecido como Airton Cascavel, por suspeita de violentar a própria neta de 3 anos, a mãe da vítima afirmou que a família está devastada. O empresário é um dos nomes mais poderosos de Boa Vista.

A mãe da criança, que terá o nome preservado, informou ter acionado o Conselho Tutelar para determinar alguma ação preventiva, uma vez que a Justiça ainda não definiu quais medidas protetivas serão tomadas a fim de evitar novos episódios. Após a separação, o pai pode ver a menina aos fins de semana.

“Eu sinto que falhei no meu papel de mãe. O que ocorreu com a minha filha virou uma assombração na minha família, que está devastada. Uma criança de 3 anos relatar dores na parte íntima e dizer que o avô a tocou naquela região… Não sei mais o que fazer”, disse a mãe da criança.

Ela explicou que dois exames realizados no corpo da menina tiveram resultados inconclusivos.

“Como uma criança de 3 anos inventaria que o próprio avô a tocou nas partes íntimas ao reclamar de dores? Ela reclamaria se fosse dor na perninha, no braço, mas não foi o caso”, continuou.

Segundo ela, Cascavel já foi acusado pelo mesmo crime em outros dois casos, num deles chegou a ser denunciado na Assembleia Legislativa de Roraima (Ale-RR) pelo deputado Renan (Republicanos).

De acordo com a ocorrência, Airton Cascavel teria lambido a boca de outra criança, a qual relatou o episódio.

Réu
A decisão de transformar Cascavel em réu é da Vara de Crimes Contra Vulneráveis, do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima (TJRR).

O empresário também é alvo da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 por ter ocupado o cargo de assessor do Ministério da Saúde durante a gestão do ex-ministro Eduardo Pazuello.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela mãe da criança no dia 14 de setembro, a menina de apenas 3 anos foi visitar o pai na casa do avô nos dias 12 e 13 de setembro e, ao voltar para casa, teria se queixado de dor na região íntima.

O relato dado pela genitora ao Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (NPCA) da Polícia Civil indica que Cascavel teria tocado no órgão sexual da menor, quando feriu a vítima. O caso corre em segredo de Justiça.

O Ministério Público estadual denunciou Airton Cascavel na terça (21/9). Para o juiz, o ex-secretário vai responder pelas acusações de estupro de vulnerável com agravante de ser parente da vítima.

Relação com Pazuello
O empresário Airton Antônio Soligo, conhecido como Airton Cascavel, teria atuado informalmente como o “número dois” do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

O executivo teria participado de agendas públicas e reuniões administrativas com o ex-ministro, exercendo influência sobre decisões da pasta.

Após a informalidade vir à tona, Pazuello o nomeou como assessor especial, cargo ocupado de junho de 2020 a março de 2021.

Cascavel era apontado por gestores estaduais e municipais como o “ministro de fato” da pasta, por ser quem resolvia muitas das questões burocráticas e logísticas do ministério.

Após a demissão de Pazuello, Cascavel foi nomeado como secretário de Saúde do governo de Roraima. Quando assumiu o posto, deixou em Brasília o veículo particular para uso do ex-ministro e da infectologista Laura Appi.

Os dois foram fotografados pelo Metrópoles saindo juntos do Hotel de Trânsito de Oficiais.

CAIO BARBIERI

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS