Tempo - Tutiempo.net

Homem que teve filha grávida assassinada pelo genro morre 19 dias após o ataque

Ricardo matou esposa grávida, sogra e o sogro não resistiu

No último dia 17 de agosto, o empresário de criptomoedas Ricardo Pinheiro Jucá Vasconcelos, de 43 anos, assassinou a esposa grávida de seis meses e a sogra.

O sogro do atirador, que também foi atingido no ataque, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital nesta quinta-feira (2/9).

Ricardo Pinheiro Jucá Vasconcelos está preso no Hospital Penal Psiquiátrico Roberto Medeiros desde 20 de agosto, mas já tem ordem de transferência para o presídio de Bangu autorizada, após a Justiça julgar não haver elementos nos autos de que o denunciado possua perturbação mental.

O atirador, que agora vai responder por feminicídio da esposa grávida e homicídio dos sogros, alegou doenças como depressão, ansiedade, crise de pânico e demais transtornos mentais no dia da audiência de custódia, quando foi solicitado um exame para verificar qualquer instabilidade mental.

A decisão do juiz Marcelo Alberto Chaves Villas diz: “O acusado praticava tiro desportivo, postava fotografias em redes sociais com arma de fogo e não se sabe influenciado por discurso de ódio.

Quiçá fatores possam explicitar crimes tão graves como ora os apurados e não um suposto surto psicótico.

Chama atenção que o surto psicológico, apenas foi abordado superficialmente nos depoimentos dos agentes da lei em sede policial que afirmaram que o denunciado disse informalmente que cometeu os crimes, pois teve um ‘surto’”.

Ricardo Pinheiro é um entusiasta de armas de fogo e costumava publicar nas redes sociais fotos armado. Após um teste que comprovou sua aptidão física e mental, ele conseguiu recentemente a autorização para o porte.

O acesso às armas de fogo no Brasil tem sido facilitado por medidas do presidente Jair Bolsonaro.

Nas redes sociais, a médica Saliha Mello, que perdeu os pais e a irmã, desabafou:

“Estou muito sofrida, muito, mas essa força vai virar revolta em prol de outras pessoas. Agora peço que a justiça seja feita. Que esse assassino cumpra o que tem que cumprir e onde tem que cumprir. E que essa decisão de que esse tesoureiro do inferno volte para o presídio comum, seja cumprida”.

Relembre o caso
Os assassinatos aconteceram em Cônego, Nova Friburgo, quando a sogra de Ricardo, Rosemary Gomes de Mello, de 67 anos, foi encontrada morta no primeiro andar da residência da família; a esposa grávida, Nahaty Gomes de Mello, de 33 anos, no segundo andar, na cama, sem vida e com uma pistola ao lado.

Os policiais militares receberam um chamado e, chegando ao local, encontraram Wellington Braga, de 75 anos, sogro do atirador, baleado na boca.

Uma semana antes do crime, a esposa que estava grávida de uma menina, compartilhou nas redes sociais uma homenagem de dias dos pais:

“Meu amor, feliz dia dos pais! Nesses 6 meses do nosso pacotinho eu só tenho amor, gratidão e certeza de que nossa filha tirou a sorte grande em te ter como pai. Nós te amamos”.

RPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS