Tempo - Tutiempo.net

Major da PM que já agrediu ex-mulher e estuprou criança é flagrado com 18kg de cocaína

Major Moisés da Silva Araújo

Major da PM é preso com 18 quilos de cocaína escondidos em seu carro. Essa não é a primeira vez que Moisés Araújo se envolve em crimes.

Ele já havia sido detido por agredir a ex-mulher e a sogra e por abusar sexualmente da enteada

O major da reserva da Polícia Militar do Acre, Moisés da Silva Araújo, mais uma vez se envolveu com ações criminosas. Desta vez, o militar foi preso em flagrante pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) com cerca de 18 quilos de drogas na BR-364, no Bujari, interior do estado.

A PRF informou que uma equipe de policiais fazia rondas no quilômetro 246 da BR 364, por volta das 14 horas de ontem, quando abordou o veículo, que desobedeceu a ordem de parada e acabou perseguido por quatro quilômetros até decidir parar no acostamento.

Outro suspeito, que dirigia o veículo, acabou fugindo, mas o major permaneceu sentado no banco de passageiros. Ao revistarem o carro, os agentes da PRF encontraram diversas embalagens escondidas embaixo do protetor de caçamba do veículo Volkswagen Saveiro, contendo a droga.

Em um compartimento escondido no veículo, 11,12 quilos de pasta base e 6,86 quilos de cloridrato de cocaína. O suspeito foi preso e encaminhado para a Polícia Federal, e vai responder por tráfico de entorpecentes.

Segundo apurou a TV Bandeirantes, o major atuava como segurança do carregamento, que havia saído do município de Cruzeiro do Sul, no Acre. Aos policiais, porém, ele disse que apenas havia pegado carona com o condutor.

Essa não é a primeira vez que o major se envolve em crimes. Segundo reportagens publicadas pelo jornal A Gazeta do Acre, ele já havia sido preso em junho do ano passado por agredir a ex-mulher e a sogra e investigado por abusar sexualmente de uma adolescente de 12 anos, filha de sua ex-mulher.

Em nota, a Polícia Militar do Acre explicou que o militar, por estar na reserva remunerada, não atuava mais no serviço ativo da corporação e terá sua conduta apurada e julgada pela justiça comum.

“Em paralelo ao processo criminal, o comando da corporação irá instaurar procedimento administrativo denominado Conselho de Justificação, para avaliar a permanência do envolvido na condição de policial militar da reserva remunerada”, afirma a corporação, em nota enviada à imprensa.

O comandante da PM-AC, coronel Paulo Cesar Gomes, informou que a nova ocorrência envolvendo o militar também vai ser apurada pela Corregedoria e o major, que está na reserva, pode vir a perder cargo.

“Na realidade, ele alega que vinha de carona de Cruzeiro do Sul para Rio Branco, ele era o passageiro. Nós fomos acionados, o oficial de serviço foi até o local junto com a PRF, conduziu ele, foi feito flagrante e está preso aguardando a audiência de custódia. Ele está respondendo pelas outras situações e essa de ontem também vai responder e vai ser, possivelmente, submetido ao Conselho de Justificava.

Possivelmente, deve ser encaminhado para ser excluído [do quadro da PM]. Com certeza nossa Corregedoria vai apurar”, disse o comandante.

Assédio sexual e violência doméstica

Em junho do ano passado, o major Araújo, que atuava como subcomandante da 3ª companhia do 5º Batalhão da Polícia Militar em Assis Brasil, cidade que faz fronteira com o Peru e Bolívia, foi preso em flagrante por agredir a ex-mulher e a sogra. A Justiça o concedeu liberdade provisória.

Ele já era acusado de cometer assédio sexual contra uma adolescente de 13 anos em maio do mesmo ano. Os abusos teriam ocorrido quando a menina ia visitar a mãe, que convivia com o major, em Brasiléia. O caso segue em investigação.

RPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS