Portugal detém três pastores evangélicos brasileiros por suspeita de tráfico de pessoas

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Pastores envolvidos no tráfico de pessoas

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), de Portugal, deteve nesta quinta-feira, dia 9, na zona da Amadora, três pastores evangélicos suspeitos da prática de crimes de associação de auxílio à imigração ilegal e tráfico de pessoas.

Os pastores, dois homens e uma mulher brasileiros, teriam alojado cerca de 30 brasileiros, entre eles crianças, num armazém com condições precárias. A maioria estava em situação irregular e era forçada a doar o dízimo do seu ordenado à igreja.

Gonçalo Rodrigues, diretor de investigação do SEF, ao jornal Público declarou que a investigação, que já dura três meses, teve como origem uma denúncia que relatava práticas enquadradas no crime de tráfico de pessoas.

Isso se dá por causa das ‘condições do alojamento’, pela ‘forma como as pessoas viviam ali’ e porque o ‘rendimento que deveriam supostamente auferir regressava à igreja’, disse o diretor. ‘Havia ali claramente indícios de exploração’, afirmou.

O armazém onde as pessoas estavam alojadas é um espaço com divisões que não dão privacidade, com banheiros comuns, refeitório e condições insalubres.

Segundo Gonçalo Rodrigues, a igreja é aquela que está sediada há alguns anos em Portugal, que ‘gere a permanência de pessoas em território nacional, garante a sua permanência, arranja-lhes trabalho e fornece alojamento, sendo que as pessoas pagam por isso’.

O diretor do SEF afirma que tal realidade terá que ser esclarecida. ‘Ainda não conseguimos chegar a conclusões’, disse.

O SEF fez buscas em vários locais da Grande Lisboa, que foram feitas depois de mandado judicial, com acompanhamento do Ministério Público. O diretor acredita que a igreja tem ‘ramificações’.

Com informações do Jornal Público

OUTRAS NOTÍCIAS