Aliados lançam Jorge Solla ao governo

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

 

A sessão era para homenagear o secretário estadual de Saúde, Jorge Solla (PT), com a entrega da Comenda Dois de Julho, uma iniciativa do deputado Alan Sanches (PSD). No entanto, a disputada cerimônia, realizada no Plenário da Assembleia Legislativa, teve como incremento político a surpreendente manifestação de aliados que aproveitaram o momento para lançar o titular da Saúde ao governo do Estado. Lideranças do PP, PRB e do PSD presentes destacaram a “força” do petista para unir a base de sustentação da gestão do governador Jaques Wagner (PT) rumo à sucessão para 2014.

Durante a homenagem, o primeiro a citar Solla como um nome possível de concorrer ao governo foi o deputado José de Arimatéia (PRB), presidente da Comissão de Saúde da Casa. Em evento, no início do ano, ele já teria expressado ser a favor de uma suposta postulação do secretário. As declarações de apoio ao ingresso do executivo na corrida aumentaram em seguida com o discurso do deputado federal João Leão, vice-presidente do PP baiano, que interrompeu a sequência para dizer: “Ah, se Deus permitisse que o secretário fosse o candidato”.

Houve sinalização positiva também do proponente da medalha, que destacou as melhorias na área de saúde. “A exemplo da elevação em 150% dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) no estado, os investimentos de 2007 até 2012 dobraram ano a ano, concursos públicos foram realizados, os salários dos médicos foram elevados, bem como os investimentos em programas de saúde e também em infraestrutura”, elencou Sanches.

Com palmas efusivas e até coro com a música Salve Jorge, a grande plateia acenou para um movimento que pode ter o apoio de demais lideranças da base. “A candidatura de Solla unificaria com tranquilidade. Ele é o secretário que tem mais trabalho a oferecer. É o único que ficou no governo, desde o primeiro mandato, sem mudar de pasta, tem a confiança absoluta. O que aconteceu hoje não foi algo orquestrado para fortalecer sua candidatura a deputado federal. Foi natural”, disse um aliado, que preferiu não se identificar.

Na mesma sessão, o líder da bancada do PT, Rosemberg Pinto, que apóia a pré-candidatura do secretário de Planejamento, José Sérgio Gabrielli (PT), reconheceu a “legitimidade” do secretário em se colocar no pleito. Além dele, concorrem para ser candidato do PT o secretário da Casa Civil, Rui Costa, o senador Walter Pinheiro e o ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano. Solla disse que estava emocionado com as palavras e agradeceu ao governador pela chance de proporcionar os resultados. “Ele deu prioridade à Saúde e à Educação do estado, dobrando os investimentos nessas áreas”.

Fonte: Lilian Machado

OUTRAS NOTÍCIAS