Após a repercussão na imprensa, Maranhão adia licitações para compra de lagosta e camarão

 

O governo do Maranhão adiou as licitações para compra de alimentos para as duas residências oficiais. Os novos pregões não têm data para acontecer. Em meio ao caos em presídios, o Estado previa gastar R$ 1 milhão para alimentar a família Sarney e seus convidados até o fim do ano. A lista de compras incluía 80 kg de lagosta fresca, uma tonelada e meia de camarão e oito sabores de sorvete.

O pacote para os palácios maranhenses também incluía 750 kg de patinha de caranguejo, por R$ 39 mil. O governo do Estado compraria ainda duas toneladas de peixe e mais de cinco toneladas de carne bovina e suína.

As residências oficiais receberiam 50 caixas de bombom e 30 pacotes de biscoito champanhe. Outro item curioso: R$ 108 mil em ração para peixes.

O edital ainda previa a compra de 2.500 garrafas de 1 litro de “refrigerante rosado” com “água gaseificada, açúcar e extrato de guaraná”. Descrição sob medida para a compra do guaraná Jesus, bebida famosa do Maranhão.

Com tantas encomendas, o governo faria duas licitações para escolher os fornecedores. O primeiro pregão, de R$ 617 mil, estava marcado para hoje às 14h30. O segundo estava agendado para esta sexta-feira.

As iguarias deveriam ser entregues na residência oficial e na casa de praia usada pela governadora.

Fonte: Redação / Folha

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS