Tempo - Tutiempo.net

Bolsonaristas são criticados por apoiadores após aprovarem fundão de R$ 6 bilhões

A Comissão Mista de Orçamento aprovou na manhã de quinta-feira (15) o relatório da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2022. O texto prevê a destinação de R$ 5,7 bilhões para o fundo eleitoral.

Nas redes sociais, o dispositivo era constantemente criticado pela base do governo. Na vida real, porém, a proposta recebeu o voto favorável de deputados como Eduardo Bolsonaro e Carla Zambelli.

Eduardo Bolsonaro postou um vídeo em que não deixa claro se o seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, é favorável ao Fundão.

“A matéria agora vai para a Presidência da República, que pode vetar esse dispositivo. Mas, ainda que esse dispositivo prospere , final do ano o relator do Orçamento poderá acatar, ou não, essa questão”, disse o deputado.

Além de Eduardo e Zambelli, Bia Kicis (PSL-DF), Marco Feliciano (Republicanos-SP), Osmar Terra (MDB-RS), Helio Lopes (PSL-RJ) e Carlos Jordy (PSL-RJ) também votaram a favor e foram duramente criticados por apoiadores nas redes sociais.

Os internautas reclamam que em várias publicações os políticos bolsonaristas costumam criticar o uso de dinheiro público para financiar campanhas eleitorais, mas acabaram votando para triplicar o valor dos recursos.

Outra crítica é que antes de votações importantes, esse grupo de parlamentares costuma mobilizar os seguidores para subir hashtags com alertas nas redes sociais, mas dessa vez ficaram em silêncio.

Os parlamentares argumentam que não queriam prejudicar o governo adiando a votação da LDO e por isso tiveram que aprovar o texto completo, que incluía o fundo eleitoral.

A explicação parece não ter convencido.

“Vota a favor do fundão e faz vídeo falando que não votou a favor do fundão”, criticou uma seguidora do deputado Eduardo Bolsonaro, que publicou no Twitter uma gravação em que tenta se defender.

Na mesma plataforma, Carla Zambelli chamou de “desgraçados” aqueles que a criticaram por ajudar a aprovar o novo Fundão.

“Não adianta partir pra ofensas deputada… Os fatos estão dados”, rebateu um de seus seguidores. “Votou a favor da LDO que continha os 6BI do fundão… Se não quisesse teria votado não… O golpe tá aí, cai quem quer!”.

Os bolsonaristas começaram a tentar camuflar sua posição ainda durante a votação.

Por isso, foram advertidos pelo vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), que conduzia os trabalhos.

“Vocês têm que assumir os seus votos, as suas atitudes e as suas posturas, porque eu tenho que assumir as minhas”, disse Ramos.

“O partido do deputado Eduardo Bolsonaro, o líder do governo do presidente Boslonaro, nenhum deles protestou quando da orientação da votação simbólica do (Partido) Novo.

É muito fácil, depois da votação simbólica, ir para a rede social, dizer que votou contra e tentar transferir responsabilidades”.

Outro nome muito citado pelos internautas é o do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), que ainda não se manifestou sobre o assunto.

No ano passado, Flávio votou a favor do Fundão e depois divulgou vídeo alegando que isso tinha acontecido por um “equívoco”.

Na votação de ontem, o senador fluminense votou a favor do aumento do fundo eleitoral.

Orientaram “sim” à proposta da LDO os partidos PSL, PL, PP, PSD, MDB, PSDB, DEM, Solidariedade, Pros, PSC, PTB e Cidadania. Orientaram “não” os partidos PT, PSB, PDT, Podemos, PSOL, Novo, PV, Rede, e a liderança da Oposição.

ERPP

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS