Tempo - Tutiempo.net

BOLSONARO: A LAMA QUE NÃO VIROU ARGAMASSA POR CARLOS LIMA

Bozo e Hitler

No ciclo conjuntural sempre existe um tema que dá ibope. A conjuntura Bolsonaro tem conseguido se sobressair pela sua morbidez, e imbecilizado desejo ditatorial.

Parte da população brasileira está azarotada. Como nenhum fenômeno acontece à toa, o bolsonarismo tem uma explicação.

Quando Adolf Hitler chegou ao poder total na Alemanha, a humanidade preferiu acompanhar a ascensão de um psicopata, que menosprezava a inteligência de milhões de cidadãos pátrios. Ele empolgava as massas menos esclarecidas com seus discursos melomaníacos e despertava a cobiça e vaidade de outros mais afortunados pela eliminação e apropriação das riquezas dos judeus, a quem culpou pela situação econômica do país, disseminando mentiras, até torna-las verdades, diante dos olhos da nação.

Quase toda unidade alemã se dobrou e ficou de joelhos diante do “gênio”, – Bolsonaro o ”mito” – Só Hitler seria capaz de salvar a Alemanha da saga dos judeus e comunistas

O mundo todo negligenciou o estudo de um país com os brios feridos e a miséria batendo nas portas do seu povo.

Na realidade ninguém imaginava sua truculência, como dizem; intelectualmente deformado, como hoje se afirma; fisicamente patológico, como agora constatam; e moralmente inaceitável como registram.

Mas, na Alemanha existia milhares de Hitlers que constituíam o topo da sua pirâmide, uma classe ditatorial, milhares de técnicos, cientistas, políticos, aristocratas e militares. Ninguém conseguiu identificar que Hitler era apenas um porta voz desse “Status quo” e não o guia. O nazismo militarista era o termômetro. Hitler era o executor.

Bem, Jair Messias Bolsonaro (mito), não difere nem destoa de nossa realidade atual. Hitler cresceu com o nazismo e virou espuma, idêntico a essência de sua ideologia. Bolsonaro cresceu com a mentira patrocinada pelos EUA e o servilismo de Sérgio Moro.

Ambos traidores da pátria e a permissibilidade dos militares, pródigos em golpes e gananciosos de poder.

Há quase uma década que os governantes Michael Temer e Bolsonaro protagonizam desmoralizações públicas e internacionais. Elas já se tornaram tão comuns que o país perdeu a credibilidade construída no governo Lula.

O governo de Bolsonaro semi-oficializou as milícias, as Fake News, a desmoralização das instituições, a devastação do meio ambiente, invasão das terras indígenas, o negação pandêmica do coronavírus, a militarização dos órgãos públicos, a perseguição e desmoralização da imprensa, um verdadeiro massacre das classes desfavorecidas. Além do Desassoreamento do tráfico de influência, principalmente pela própria família, pervertendo toda sociedade.

Qual é será a consequência de tão destrutivo governo?

Bolsonaro gera um governo de exclusão, inclusão só para quem tem dinheiro e o apoia. Tripudia a ética, transforma mentiras em verdades e menospreza a vida das classes sofridas do país, seu objetivo é manipular os desígnios da pátria, com a conivência das Forças Armadas.

Bolsonaro não é nada mais e nada menos do que uma aberração, não é um corpo estranho da caserna, os militares já o conhecem há muito tempo. E sua história é de vergonha para o Exército brasileiro.

O Brasil não merece tão infame governante.

Carlos Lima

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS