Tempo - Tutiempo.net

Bolsonaro confirma que não há honra entre ladrões

Não há honra entre ladrões

Só para se ter um termo de comparação, em 2011 a base aliada de Dilma Rousseff (PT) era 13% maior do que a que Lula teve em seus dois mandatos.

Dilma tinha 402 deputados federais, bem mais que os 357 deputados apoiadores de Lula em 2006.

Para que se tenha uma ideia, a base de Bolsonaro tem cerca de 250 deputados.

A explicação para Bolsonaro ter base de apoio tão pífia se explica pelo seu comportamento com os aliados.

Filiou-se a um partido, venceu as eleições com ele e, quando fica claro que esse partido estava roubando dinheiro público com candidaturas laranjas, Bolsonaro joga ao mar a maior liderança do próprio partido e já fala em fundar uma legenda para acomodar sabe-se lá quem, já que o mesmo Bolsonaro certamente trairá qualquer um que se alie a ele.

O resultado da inabilidade política de Bolsonaro e a quantidade de gangsters que cercam e/ou integram o atual governo do Brasil deixam prever momentos difíceis para o país, já que o governo Bolsonaro está se enfraquecendo dia após dia em meio a crises e denúncias de corrupção ininterruptas.

Mas há, pelo menos, uma boa notícia em toda essa palhaçada.

Bolsonaro e seus aliados logo, logo estarão denunciando uns aos outros em acordos de delação premiada e em rompantes sucedâneos às traições que uns promoverão contra os outros para salvarem os próprios pescoços.

Afinal de contas, como todos sabem, não há honra entre ladrões

Estadão

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS