Tempo - Tutiempo.net

Bolsonaro determinou demissão de secretária que criticou a cloroquina

Jair Bolsonaro obrigou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a demitir a médica Luana Araújo, que assumira há menos de 10 dias a Secretaria de Enfrentamento à Covid-19.

 A secretária sempre criticou severamente o uso da cloroquina como remédio para a covid e defendeu a ciência, algo que o ocupante do Palácio do Planalto só percebeu depois da posse da médica no ministério.

No sábado (22), em entrevista coletiva à imprensa, Queiroga negou que tenha sido obrigado a demitir Luana.

Ante a insistência de um repórter em querer mais detalhes, Queiroga foi ríspido:

“Já falei sobre a doutora Luana. Esse é um assunto que nós consideramos encerrado. Não vou mais abordar esse assunto”, informa o jornalista Ricardo Noblat no site Metrópoles.

Em nota divulgada no seu perfil no Instagram, Luana Araújo escreveu:

“Em meu discurso de apresentação, fiz questão de evidenciar minha postura técnica, baseada em evidências, pautada pelo juramento médico que fiz e que norteia todas as minhas atitudes. Vejo a ciência como ferramenta de produção de conhecimento e de educação para a priorização da vida”. (Brasil)

A ignorância, subserviência e ‘jumentalização’ das ações, devem ser as principais qualidades de quem aceita participar do governo bolsonarista. (CLJORNAL)

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS