Dirceu, Genoino, Valério e mais cinco condenados no mensalão se apresentam à PF

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

 

O ex-ministro José Dirceu, o deputado federal José Genoino (PT-SP) e Marcos Valério e outros cinco condenados no processo do mensalão já se apresentaram à Polícia Federal (PF). Ao todo, foram 12 ordens de prisão expedidas pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Os presos serão todos levados para a carceragem da Polícia Federal em Brasília. A previsão é de que eles cheguem em Brasília no domingo. Eles terão de dividir a cela durante o período em que estiverem na carceragem da PF em Brasília, pois não há espaço para celas individuais.

 

Dirceu deixou sua casa em Vinhedo e chegou à Superintendência em São Paulo por volta das 20h30m. Antes, em documento intitulado “Carta Aberta ao Povo Brasileiro”, divulgado minutos depois de ter seu mandado de prisão expedido pelo Supremo, o ex-ministro reiterou sua inocência, disse ser vítima de uma condenação injusta e que, assim como José Genoino, se considera “um preso político de uma democracia sob pressão das elites”.

 

Genoino deixou sua casa no Butantã, em São Paulo, levantando o braço em sinal de força. Sua filha chorava muito. Em seguida, o deputado entrou no carro do advogado e seguiu rumo à Superintendência da PF. Ao longo do caminho, repetia o sinal de força para os fotógrafos que acompanharam o carro no trajeto. Na sede da PF, correligionários esperavam Genoino. A mulher do parlamentar está na superintendência. Mais cedo, Genoino distribuiu nota à imprensa em diz ser inocente e que se considera um preso político.

Além de Genoino e Dirceu, nessa primeira leva de mandados de prisão estão o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares; o operador do esquema Marcos Valério; a dona do Banco Rural Kátia Rabello; o ex-diretor do Banco Rural José Roberto Salgado; Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, ex-sócios de Valério; Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Valério; o ex-tesoureiro do PL (atual PR) Jacinto Lamas; o ex-deputado Romeu Queiroz (PTB-MG); e ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato.

Operador do esquema, Marcos Valério deixou sua fazenda em Caetanópolis para se apresentar à PF em Belo Horizonte. Ao todo, quatro condenados já se apresentaram na capital mineira: a ex-diretora financeira da agência de publicidade de Marcos Valério, Simone Vasconcelos, o ex-deputado federal do PTB Romeu Queiroz, Cristiano Paz, ex-sócio de Valério, e a ex-dona do Banco Rural Katia Rabello. Em Brasília, o ex-tesoureiro do PL (atual PR) Jacinto Lamas, também se apresentou. Ele é o único dos condenados que tiveram o mandado de prisão expedido neste sábado que se apresenta na capital federal. Ele estava no banco do passageiro do carro que o levou à superintendência da PF.

Por meio de nota, a direção do PT classificou de “casuísmo jurídico” a decisão do Supremo de executar imediatamente as penas dos condenados no julgamento do mensalão. Segundo o partido, a decisão foi tomada antes de os embargos infringentes terem sido julgados. A expedição dos mandados repercutiu entre os parlamentares, que se dividem quanto às dos condenados no processo do mensalão.

Fonte: André de Souza, Carolina Brígido, Vinicius Sassine e Gustavo Uribe

OUTRAS NOTÍCIAS