GLOBO CONFIRMA LEGALIDADE DE PALESTRA DE LULA

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Uma das frentes do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-presidente Lula diz respeito à contratação de empresas e eventos para que o petista realizasse palestras, por meio da empresa L.I.L.S., com sede em São Bernardo do Campo e uma sociedade entre o ex-presidente e Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula.

Apertando o cerco, o MPF vem exigindo de empresas e entidades que fizeram pagamentos à L.I.L.S. a apresentação de comprovantes dos serviços prestados pelo ex-presidente.

Uma delas é a Odebrecht, que confirmou ter convidado Lula para fazer palestras a “empresários, investidores e líderes políticos” e informou ter prestado as informações solicitadas em inquérito que corre em sigilo.

Em resposta enviada ao jornal O Globo sobre o tema, o Instituto Lula defendeu que a relação da entidade “e seus clientes, dentre os quais se inclui a Infoglobo, que edita publicações da família Marinho, são relações legítimas, legais e honestas de prestação de serviços de palestras”.

Ao mencionar o trecho da nota neste sábado 27, o jornal, que lidera a campanha midiática contra Lula, confirmou ter financiado uma palestra do ex-presidente.

“A Infoglobo, empresa que publica os jornais O GLOBO, “Extra” e “Expresso”, informa que participa de iniciativas que contribuem para o desenvolvimento e a promoção do Rio de Janeiro.

Em 2013, com esse objetivo, apoiou a Fecomércio-RJ na realização de um seminário sobre o Mapa do Comércio no Estado do Rio. Além de divulgar o evento em seus jornais, a Infoglobo arcou com os custos dos palestrantes, inclusive do ex- presidente Lula”, diz a reportagem.

O Instituto Lula se adiantou à publicação da reportagem e veiculou, nesta sexta-feira 26, a troca de mensagens entre sua assessoria de imprensa e os repórteres do Globo, que segundo a entidade quer “fingir que o Instituto esconderia alguma informação”. Leia mais em Lula se antecipa à manipulação do Globo.

Leonardo Attuch

OUTRAS NOTÍCIAS