Governo chinês muda política de natalidade e autoriza casais a ter dois filhos

 

Governo chinês adotou formalmente neste sábado (28) a reforma da política do filho único, autorizando mais casais do país a ter um segundo descendente – até então, os chineses poderiam ter apenas um filho. Com a mudança, casais passam a ter dois filhos, mas apenas se um dos pais for filho único, informou a imprensa local. A mudança havia sido anunciada pelo governo em novembro.

Em Pequim, a medida deve entrar em vigor em março de 2014. Mas a mudança deve acontecer de forma gradual em várias partes do país, já que as autoridades provinciais poderão decidir sobre quando implementar a política, de acordo com a situação demográfica local. A medida é parte de um plano para aumentar as taxas de fecundidade e aliviar a carga financeira sobre a população chinesa, que está envelhecendo em ritmo acelerado.

– É o momento certo para fazer mudanças. A baixa taxa de natalidade é estável, a população trabalhadora ainda é grande e o fardo de sustentar os idosos permanece relativamente leve – disse Li Bin, ministro encarregado da Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar, segundo a agência de notícias Xinhua.

O gigante asiático com cerca de 1,4 bilhão de pessoas é o país mais populoso do mundo. O governo chinês disse que a política de limitar as famílias a um único filho cobre 63% da população e impediu 400 milhões de nascimentos desde 1980. De acordo com as estatísticas, até 2050, mais de um quarto da população chinesa terá mais de 65 anos.

Fonte: Redação

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS