Lídice fala em vencer já no 1º turno

 

Aliada do governador Jaques Wagner (PT), na gestão que ajudou a construir nesses últimos sete anos de mandato, a senadora Lídice da Mata (PSB) deu nesta quinta-feira (19), o primeiro passo, oficialmente, rumo ao distanciamento do projeto petista, durante a cerimônia de filiação da ex-ministra do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon, ao seu partido, no espaço Unique Eventos, na Avenida Tancredo Neves, em Salvador.

Diante de uma plateia formada por cerca de 800 pessoas, a líder socialista no estado inaugurou o seu discurso de pré-campanha ao criticar a polarização das forças políticas PT-PSDB, adotando o posicionamento também do presidente nacional do PSB, governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência da República, Eduardo Campos.

“Esta conformação de forças não está representando o povo. Isso está claro nas pesquisas. Se ela estivesse representando, o candidato do governo estaria no primeiro lugar. Isso significa dizer que o povo baiano busca outra candidatura para ir adiante”, disse ao antecipar a questão, durante entrevista coletiva à imprensa.

Entretanto, ao mesmo tempo evitou fazer críticas ao governo estadual e desconversou sobre um possível embate no segundo turno com o candidato do PT, Rui Costa. “Tentarei ganhar no primeiro turno”, disse, demonstrando confiança. Lídice também exaltou a chegada de sua futura companheira de chapa, Eliana. “Tem horas em que é preciso rodar a baiana. Eliana Calmon fez isso e é nesse espírito de rodar a baiana, de desestabilizar aquilo que está posto, que nós a recebemos com muita alegria no nosso partido”, destacou.

Campos e Marina fazem discurso de oposição

O presidente nacional do PSB e pré-candidato ao Palácio do Planalto, Eduardo Campos, deixou clara a separação do seu projeto em relação ao da presidente Dilma Roussef (PT). Ele criticou a política econômica do governo ao citar a alta inflação e a necessidade de se avançar mais nas taxas de crescimento. Responsável pela articulação que conduziu Eliana ao partido, ele elogiou o perfil e a história da ex-ministra e a parceria com Lídice em favor de um projeto político.

“A Bahia dá um passo à frente ao lançar dois nomes de grande representação e respeito como Lídice da Mata e Eliana Calmon. É uma referência que vamos buscar em cada estado brasileiro”. Ele também destacou a necessidade de renovação da política e das gestões, mantendo os avanços. “É preciso preservar as conquistas e só vamos conseguir fazê-lo se tivermos a capacidade de enxergar o Brasil acima dos interesses de partidos e de grupos políticos”, disse.

A ex-ministra Marina Silva mostrou que está alinhada ao discurso de pré-candidatura de Campos ao negar a intenção de ser candidata. “Quando foi dialogar com o PSB sabia que estava conversando com um partido que tinha candidato”. “A tese de que ‘Marina está na frente de Eduardo nas pesquisas, e vão ficar se engalfinhando em uma luta de titãs’ não prevaleceu. Se quiséssemos disputar o lugar de candidato teríamos ido para o PPS e não vir atrapalhar a vida do governador, que estava fazendo seu movimento”, afirmou.

Fonte: Lilian Machado

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS