Morre o petista Marcelo Déda, governador de Sergipe

Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês desde maio para tratamento de câncer


O governador licenciado de Sergipe, Marcelo Déda (PT), de 53 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês desde maio. Déda foi diagnosticado com um câncer gastrointestinal em 2012.

 

Déda estava em seu segundo mandato como governador; antes, foi deputado e prefeito de Aracaju.

 

Horas após a morte, a família postou uma mensagem no perfil do governador no Twitter: “O céu acaba de ganhar mais uma estrela. Marcelo Déda voou ‘nas asas da quimera’. Paz e bem”.


De acordo com a assessoria do governo, o corpo do governador deve chegar a Sergipe na tarde desta segunda e o velório será realizado no Palácio-Museu Olímpio Campos.


A transferência para Sergipe será feita por um avião cedido pela presidente Dilma Rousseff, amiga do governador.


Déda afastou-se do cargo de governador em 27 de maio deste ano em razão do tratamento médico e foi substituído pelo vice, Jackson Barreto (PMDB).


No início da noite de sábado, 1º, o hospital informou a “piora progressiva” do quadro clínico do governador. Déda deixa cinco filhos e a mulher Eliane Aquino, secretária de Inclusão Social.


Nascido em Simão Dias, cidade do interior de Sergipe, Marcelo Déda começou a participar de movimentos estudantis no Estado ainda na década de 1970, antes de entrar para a faculdade de Direito.


Em 1979, atuou na fundação do PT. Foi eleito pela primeira vez em 1986 a deputado estadual.


Em 1994, ocupou uma cadeira na Câmara dos Deputados e foi reeleito em 1998. Dois anos depois, tornou-se prefeito de Aracaju, cargo que ocupou até 2006, quando renunciou para disputar o governo do Estado. Foi reeleito em 2010.  

A repercussão:

 

Dilma Rousseff, presidente da República

 “O Brasil e o Estado de Sergipe perderam hoje um grande homem. Marcelo Deda exerceu a Política com P maiúsculo.Eu perdi hoje um grande amigo, daqueles das horas boas e más. #Deda fará falta. Mas seu exemplo nos guiará”.

 

Jackson Barreto, governador em exercício de Sergipe (PMDB),

“Ontem foi um dia difícil para nós que acompanhamos seus últimos momentos. Conversando com Eliane Aquino, primeira dama a pouco me dizia que na verdade ele descansou. Não aguentava mais tanto sofrimento e tanta luta. Deus faz aquilo que acha correto para todos os seus filhos. A nossa vida quem traça é Deus. E nós estamos aqui para guardar a memória desse homem que marcou a história de Sergipe com muita seriedade”.

 

“Albano Franco (PSDB), ex-governador de Sergipe

 

“Sergipe está de luto, o Brasil está triste. Déda era reconhecidamente um dos melhores homens públicos desse país. Era um homem sério e decente. Aos 53 anos, desaparece um líder brilhante. Déda fez uma marca e todos nós estamos sentindo sua perda”.

 

Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, por meio de nota oficial

 

“Com tristeza que recebi a notícia do falecimento do governador Marcelo Déda, homem que dedicou sua vida à causa pública e ao progresso de Sergipe. Transmito os sentimentos a seus familiares, amigos e a todos os sergipanos.”

 

João Alves Filho (DEM), prefeito de Aracaju

 

“É com muita tristeza que recebo a notícia da morte de Déda em pleno vigor e juventude, e com amplas condições de ampliar a sua brilhante carreira politica.  Durante os mandatos de Deputado Estadual, Deputado Federal, Prefeito de Aracaju e Governador de Sergipe, Déda sempre agiu com respeito, ética e zelo público, e com a sua morte, abre-se uma grande lacuna em um país tão carente de líderes talentosos e competentes. Quis Deus que nos últimos tempos o conhecesse mais de perto e passasse a admirá-lo. Não só pelo seu talento, como também pela sua força de vontade, obstinação e a certeza que venceria o drama que estava vivendo”.

 

Fernando Haddad (PT), prefeito de São Paulo, por meio de nota oficial

 

“É com muita tristeza que recebo a notícia do falecimento do governador e companheiro de partido Marcelo Déda. Registro minha solidariedade e desejo força à família neste momento difícil. O país perde um homem público de valor inestimável, cuja vida foi dedicada à construção de uma sociedade mais justa e fraterna.”

 

Deputado estadual Francisco Gualberto (PT)

 

“Me chamou muita atenção a sua persistência e responsabilidade com o povo de Sergipe e  com o projeto de estado, através da luta pelo Proinvest . Apesar da sua saúde frágil ele foi em frente. Um homem consciente do que estava acontecendo com ele e que transformava a sua doença em algo menor,  o maior era o que estava acontecendo na política. Eu não observo no passado e não tenho muita esperança de que no futuro nós tenhamos um Marcelo Déda fazendo política em Sergipe”.

 

Albano Franco (PSDB), empresário e ex-governador de

 

“Recebi a notícia com muita tristeza e pesar. Embora a gente já soubesse do agravamento da doença é sempre muito difícil. Sergipe e o Brasil perdem um dos seus melhores homens públicos. Me lembro quando inauguramos as obras da entrada de Aracaju no meu governo e ele era perfeito, na ocasião ele disse que Aracaju estava em traje de gala. Na inauguração do Teatro Tobias Barreto ele destacou que Aracaju havia atingido a sua maior idade cultural”.

 

Wellington Dias (PI), líder do PT no Senado

 

“Recebi com muita tristeza. O Marcelo, companheiro de partido, era um amigo. Estou indo para Sergipe, ele foi meu colega do início do partido, depois fomos companheiros de bancada como deputados estaduais, depois fomos companheiros na Câmara como deputados federais. Era um dos mais importantes oradores do país. Tive o privilégio de viajar com ao lado dele em Sergipe e eu vi o carinho que o povo tinha em relação a ele. As pessoas tinham um respeito e um carinho muito grande por ele. Foi uma perda muito grande para o Nordeste e para o país.”

 

Senador Eduardo Suplicy (PT-SP)

 

“Cheguei em Montevidéu (Uruguai) agora para uma reunião do Parlamento do Mercosul e lamento muito por não estar em São Paulo neste momento. O governador Marcelo Déda constituiu uma das principais lideranças da história do PT e sempre se distinguiu. Quando deputado federal, deu uma contribuição extraordinária para o estado de Sergipe e também para o Brasil. Era uma pessoa tão querida pelo povo de Sergipe que foi duas vezes eleito governador, e sempre com um grau de aprovação por parte do povo muito forte. Nas reuniões da direção do PT, onde tantas vezes estive com ele, ele sempre deu uma contribuição extremamente positiva, com muito bom senso e sempre caracterizado também por uma percepção do que era o melhor caminho para a realização da justiça. Certamente, perdemos um dos nossos principais valores, mas cujo exemplo de determinação e vontade inabalável de construir um Brasil justo vai ficar sempre muito presente entre nós.”

 

Senador Paulo Paim (PT-RS)

 

“Ele foi um grande líder, era um orgulho e continua sendo. Tive a alegria de ser deputado ao lado dele. O Marcelo Déda sempre olhava além do horizonte, com ideias muito modernas, inspirava um rejuvenescimento. Foi uma perda para nós que não tem como medir a contribuição dele para o partido e para o país. Ele sempre apontava caminhos, então é um momento de solidariedade total. Na abertura da Comissão de Direitos Humanos do Senado, na manhã segunda, vou pedir um minuto de silêncio”.

 

Silvio Santos (PT), secretário de Estado da Casa Civil de Sergipe, @silviosantospt

 

“Deus chamou meu líder, meu amigo, meu companheiro da vida toda. Vá, meu irmão. É de homens como você que Deus quer ao seu lado. Ele sempre foi nossa estrela guia. Sempre nos apontou o norte. Agora foi brilhar no céu”.

 

Walter Pinheiro (PT-BA), senador, @pinheirosenador

 

“Marcelo Déda: Sergipe perde o timoneiro, o PT perde uma das mais brilhantes estrelas, mas fica entre nós o exemplo de uma história de vida.”

 

José Guimarães (CE), líder do PT na Câmara

 

“O Marcelo [Déda] foi um líder na Câmara, meu amigo, e a nossa bancada está profundamente triste, ao mesmo tempo que faz uma homenagem a ele. É uma perda imensurável, tanto pessoalmente quanto politicamente. Nós temos que correr para preencher o lugar dele no Nordeste para as eleições de 2014. Ele era cotado para ser candidato a senador agora. Tudo o que a presidenta Dilma e o Lula conseguiram no Nordeste teve apoio do Marcelo, ele era um líder do PT no Nordeste. Ele era um homem público extraordinário, exemplar. Sergipe perdeu um grande homem e um grande governador. A melhor forma de homenageá-lo é continuar com o legado dele”.

 

Marco Maia (PT-RS), ex-presidente da Câmara

 

“O governador Déda foi uma pessoa muito engajada nos assuntos do Brasil e sempre foi extremamente responsável com os interesses do povo brasileiro. Um militante petista e um cidadão brasileiro que deixa um legado de luta, transformação e mudanças na história do Brasil. Alguém que vai deixar saudades pela sua inteligência, perspicácia, e vontade de transformar o Brasil.”

 

Deputado Décio Lima (PT-SC), presidente da CCJ da Câmara

 

“O Marcelo [Déda] sempre foi uma expressão positiva. Ele teve uma carreira na política vibrante, intensa e, infelizmente, foi acometido por essa doença que o ser humano ainda não achou cura. É um governador que sempre respondeu pelos nossos princípios, de um estado preponderante e sempre foi uma liderança no partido”.

 

Fernando Pimentel (PT), ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, @pimentelminas

 

“O povo perdeu um guerreiro da democracia e da justiça social. Nós perdemos um amigo. Vá em paz, Marcelo Deda. O Brasil reverencia sua memória.”

 

Chico Alencar (PSOL – RJ), deputado federal, @depChicoAlencar

 

“Amanheço com a triste notícia do falecimento de MARCELO DÉDA, governador licenciado de Sergipe. Éramos amigos….”

 

Antonio Carlos Valadares (PSB – SE), senador, @ValadaresPSB

 

“Foi-se o meu amigo e companheiro de lutas Marcelo Déda. A República perde um homem público visionário, ético e destemido. Orgulho de Sergipe!”

 

Valdeci Oliveira (PT – RS), deputado estadual, ‏@Valdeci13

 

“Bom dia triste hoje com a perda do companheiro Marcelo Déda. Quadro que orgulhou PT e o povo de Sergipe. Nosso pesar à família do governador. Quando fui prefeito de Santa Maria, Déda era prefeito de Aracaju. Dialogamos várias vezes nos encontros de prefeitos do PT. Grande pessoa e político.”

 

José Eduardo Dutra, ex-presidente do PT, @zedutra13

 

“O Déda costumava dizer que, em 30 anos de militância, nós nunca levantamos o crachá de forma diferente nos encontros do PT. Quando divergíamos, sentávamos pra conversar , “quebrávamos o pau”, mas sempre chegávamos a um posição comum. E foi assim mesmo. A única divergência insuperável e definitiva era no futebol. Pelo menos, ele se foi com a faixa de campeão. Valeu, meu companheiro!”

 

Flávio Dino (PC do B), presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur),  ‏@FlavioDino

 

“Rezo pelo companheiro governador Marcelo Déda. Momento difícil e triste.”

 

Conceição Vieira (PT – SE), deputada estadual, @Dep_Conceicao

 

“Que o Supremo Arquiteto do Universo prepare para vida plena, física, emocional e espiritualmente o querido companheiro, líder democrata DÉDA”

 

Clóvis Barbosa de Melo, Conselheiro do TCE-SE, @ClovisCBMelo

 

“Adeus, amigo Déda! Fique certo de que quando as obras forem inauguradas estaremos lembrando de você em cada sorriso dos sergipanos”

 

Luiz Eduardo Oliva, secretário de Estado dos Direitos Humanos e da Cidadania de Sergipe, @olivaluiz

 

“Partiu o amigo, o líder, o homem! Fica a sua história, seu exemplo, sobretudo a sua obra cravada no coração dos sergipanos. Conheci Marcelo Déda há 35 anos como meu aluno no Atheneu Sergipense. Menino franzino, corria atrás de sonhos e transformações. Déda revelava seu talento ainda adolescente. Poeta e cineasta precoce, trazia ideias na cabeça, uma câmera na mão e queria transformar o mundo.”

 

Lidice da Mata (PSB-BA), senadora, @lidicedamata

 “Mando aqui o meu abraço e a minha solidariedade ao gov. Marcelo Déda e a sua família. Jovem, político e brilhante, dos melhores que conheci.”

Fonte: Redação/G1

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS