Tempo - Tutiempo.net

O governo Bolsonaro é um choque cultural: negativo, violento e perigoso

O home enlouqueceu

É muito difícil vencer uma guerra ideológica. Pois nesta guerra soldados não são abatidos. O inimigo é apenas alguém que pensa diferente. Ordens não são questionadas. Ideias não são debatidas.

Mata-se o bom senso.

A honestidade intelectual. A metralhadora ideológica é certeira. Mutila mais que a bomba atômica. Amputa gerações e capítulos da história. A caneta legislativa é implacável. Bons argumentos deixam apenas a guerra mais “sangrenta”.

Qualquer absurdo sempre será justificado.

Em nome de algo maior, que ninguém sabe muito bem o que é. Se estão fazendo, estão certos. Não há contraditório. Que se dane a ampla defesa.

O atual governo é um choque cultural. A meu ver negativo, violento e perigoso.

Útil apenas como um divisor de águas e para o autoconhecimento como nação.

Um complexo, intricado e doloroso parto ideológico. A revelação de uma foto que estava apenas no negativo. Algo parecido com o fim de um efeito anestésico.

Antes uma crise de percepção. Agora um mar de revelações.

Independente do que aconteça, já podemos prever um país antes e depois deste governo.

A nação gestante deu à luz debates que estavam em estado letárgico. Chagas surgiram e cicatrizes retrocederam.

Voltamos a falar de ditadura. De Terra Plana. De armamento.

Passamos a desprezar livros, vacinas, conhecimento. Estigmas inexistentes, invisíveis, adormecidos ou esquecidos vieram à tona com força e fúria total.

Mais fúria que força. Diga-se de passagem.

Trata-se da revelação de um país que eu não conhecia. A imagem de um povo cordial, pacífico, alegre, empático, que convive bem com as diferenças e suas diversidades, caiu por terra.

O Brasil perdeu a inocência de vez. Nossa máscara caiu.

Revelou-se que uma grande parcela da sociedade de fato é racista, homofóbica, intolerante, violenta, misógina e ultraconservadora. Fatia social significativa que não valoriza educação, meio ambiente, pluralismo político, ciência, arte e cultura.

Os trabalhadores perderam força. Os três poderes se corromperam. As instituições caíram em descrédito. A Constituição virou um calhamaço de papel.

Para o bem ou para o mal, nunca mais seremos os mesmos.

Se existe cura?

Não existe cura para a cegueira.

A única chance é que a lágrima caída nos faça despertar. Antes lágrima que sangue.

Que chova bom senso. Que germine consciência.

Há esperança!!!

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS