PEDRO CORRÊA QUER DELATAR AÉCIO, ALDO E WAGNER

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Pedro Correia quer fazer deleção

Condenado nos escândalos do mensalão e também do chamado petrolão, o ex-deputado Pedro Corrêa, que foi presidente nacional do Partido Progressista (PP), negocia com o Ministério Público uma delação premiada que, se comprovada, pode vir a ser explosiva.

Corrêa, que foi acusado de receber R$ 11,7 milhões em propinas e está preso em Curitiba (PR), afirma ter informações comprometedoras sobre cerca de 100 políticos.

Sua lista inclui o senador Aécio Neves (PSDB-MG), hoje o principal líder da oposição, que tem usado a Lava Jato para atiçar o impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

Até agora, Aécio já foi citado por dois delatores: o doleiro Alberto Youssef e o entregador de propinas Ceará. Corrêa seria o terceiro.

A lista do ex-presidente nacional do PP também inclui dois ministros do governo da presidente Dilma Rousseff: o chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, e o titular da Defesa, Aldo Rebelo.

As informações constam de reportagem de Gabriel Mascarenhas e Bela Megale.

Corrêa está condenado a vinte anos de prisão. “Se a delação for aceita, o ex-presidente do PP será beneficiado por uma redução das penas impostas a ele. Os procuradores e Corrêa negociam que ele pague multa de cerca de R$ 4 milhões e cumpra um ano e meio de prisão em regime fechado –a defesa quer reduzir esse tempo”, informam os jornalistas.

Aécio, Aldo e Wagner decidiram não se pronunciar sobre a eventual delação de Corrêa.

O óleo já está fervendo na frigideira. (cljornal)

Leonardo Attuch

OUTRAS NOTÍCIAS