Tempo - Tutiempo.net

PF faz operação contra desvios do fundo partidário no PROS

Nesta quarta-feira (12), a  Polícia Federal realizou uma operação contra desvios de recursos dos fundos partidário e eleitoral do partido PROS, que foi incorporado pelo Solidariedade em 2023.

Os agentes estão cumprindo sete mandados de prisão preventiva e 45 mandados de busca e apreensão em Goiás, São Paulo e no Distrito Federal. Segundo informações da TV Globo, seis pessoas já foram detidas.

Entre os alvos da operação estão Eurípedes Gomes Júnior, atual presidente nacional do Solidariedade, Cintia Lourenço da Silva, primeira tesoureira do Solidariedade, e Alessandro, conhecido como Sandro do PROS, que foi candidato a deputado federal. Berinaldo da Ponte, ex-deputado distrital, também é alvo da operação.

Os investigados são suspeitos de crimes como organização criminosa, lavagem de dinheiro, furto qualificado, apropriação indébita, falsidade ideológica eleitoral e apropriação de recursos destinados ao financiamento eleitoral.

As investigações tiveram início a partir da denúncia de desvio de cerca de R$ 36 milhões feita por um presidente partidário.

Na operação, os policiais buscam bloquear e indisponibilizar os R$ 36 milhões e 33 imóveis relacionados ao caso. Os mandados foram autorizados pela Justiça Eleitoral do Distrito Federal.

Em nota, o partido Solidariedade afirmou que os fatos ocorreram antes da “união” com o PROS e que estão avaliando a situação antes de tomar uma posição definitiva.

Investigadores da Polícia Federal identificaram indícios de que o grupo criminoso atuou com o intuito de desviar recursos dos fundos partidário e eleitoral por meio de candidaturas de laranjas em diversos estados do país.

Além disso, o grupo é suspeito de superfaturar serviços contratados junto a consultorias jurídicas e desviar verbas destinadas à Fundação de Ordem Social, ligada ao PROS.

Há suspeitas de lavagem de dinheiro através da criação de empresas de fachada, compra de imóveis por intermediários e superfaturamento de serviços prestados aos laranjas e ao próprio partido.

Brasil

OUTRAS NOTÍCIAS