Prédios do extinto Ministério da Cultura são ocupados por manifestantes

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Artistas e ativistas ocupam dependencias da Funarte em São Paulo na tarde desta terça-feira (17); movimento é uma reaçao à extinção do Ministério da Cultura (Foto: Mauricio Pisane/FramePhoto/Estadão Conteúdo)
Artistas e ativistas ocupam dependencias da Funarte em São Paulo na tarde desta terça-feira (17); movimento é uma reaçao à extinção do Ministério da Cultura (Foto: Mauricio Pisane/FramePhoto/Estadão Conteúdo)
Artistas e ativistas ocupam dependencias da Funarte em São Paulo na tarde de terça-feira (17); movimento é uma reaçao à extinção do Ministério da Cultura (Foto: Mauricio Pisane/FramePhoto/Estadão Conteúdo)

Manifestantes contrários à extinção do Ministério da Cultura (MinC) ocupam nesta quarta-feira (18) prédios públicos ligados à pasta em ao menos 12 capitais, incluindo Brasília. Eles protestam contra a extinção do MinC e a criação do Ministério da Educação e Cultura, planejadas pelo governo interino de Michel Temer.
Em boa parte das cidades, os locais ocupados são sedes da Fundação Nacional das Artes (Funarte) e do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Os protestos também são contrário ao governo Michel Temer. Após recusa de cinco mulheres ao cargo, Marcelo Calero foi confirmado nesta quarta-feira (18) como o novo secretário de Cultura.
Além do Rio, onde o Palácio Capanema foi tomado por ativistas desde segunda-feira, Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba, Aracaju, Recife, Fortaleza e em Salvador foram realizados protestos. Desde o fim de semana, dezenas de artistas se manifestaram contra a extinção do Ministério da Cultura. Caetano Veloso, Milton Hatoum, Marieta Severo, Renata Sorrah, Marco Nanini e Carlinhos Brown foram alguns nomes que criticaram as intenções de Temer. O presidente interino respondeu às críticas sinalizando que possui a intenção de manter toda a estrutura da Cultura, apenas sem a categoria de ministério. Ontem (18), o presidente do Senado, Renan Calheiros, propôs a recriação do MinC.

 João França

OUTRAS NOTÍCIAS