Presidente do TSE sugere suspensão do envio de dados de eleitores ao Serasa

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Cármen Lúcia, sugeriu nesta quarta-feira (7) à corregedora-geral da Justiça Eleitoral, Laurita Vaz, que suspenda o acordo firmado entre a Corte e a Serasa Experian, que prevê o repasse de informações dos 141 milhões de eleitores brasileiros à empresa.

 

Entre as informações que poderão ser compartilhadas estão o envio de dados pessoais como número e situação da inscrição eleitoral, nome da mãe, data de nascimento e até eventuais óbitos. Apesar dos termos de cooperação terem sido publicados no Diário Oficial da União (DOU) do último dia 27 de julho, o diretor-geral do TSE, Anderson Vidal Corrêa, informou que até o momento não houve troca de informações entre as instituições. Ele ainda garantiu que todos os dados que seriam repassados ao Serasa são públicos e que o acordo foi firmado conforme uma resolução do TSE que prevê a possibilidade de transferência de dados quando há interesse mútuo.

 

Em nota, a Serasa Experian informou que não recebeu e não receberá a base de dados dos 141 milhões de eleitores. “Todas as informações obtidas pela Serasa Experian através do convênio são públicas e de natureza cadastral, podendo ser acessadas no site do TSE ou nos cartórios de registro de pessoas naturais, para verificação ou consulta, por todo e qualquer interessado”, afirmou.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Redação/ Bahia Notícias

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS