Vice de Bolsonaro volta a atacar 13º salário

MOURÃO IGNORA BOLSONARO E VOLTA A ATACAR 13º SALÁRIO

O general da reserva Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa de extrema-direita liderada por Jair Bolsonaro, voltou a criticar décimo-terceiro salário dos trabalhadores nesta terça-feira, 2.

“O 13º eu simplesmente disse que tem que ter planejamento, entendimento de que é um custo. Na realidade, se você for olhar, seu empregador te paga 1/12 a menos [por mês]. No final do ano, ele te devolve esse salário. E o governo, o que faz? Aumenta o imposto para pagar o meu. No final das contas, todos saímos prejudicados”, disse Mourão a jornalistas no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Durante palestra no Rio Grande do Sul há uma semana, Mourão chamou o 13º de “jabuticaba brasileira”, uma “mochila nas costas dos empresários” e “uma visão social com o chapéu dos outros”. A declaração provocou uma crise na chapa conservadora e Mourão chegou a ser repreendido publicamente por Bolsonaro. A campanha havia anunciado inclusive que o general não iria mais cumprir agenda de campanha até o final do primeiro turno das eleições.

Nesta terça-feira, Mourão disse que a única possibilidade de mexer no 13º salário seria um “amplo acordo nacional para aumentar os salários”. “Se você recebesse seu salário condignamente, você economizaria e teria mais no final do ano. Essa é minha visão. Não pode acabar [o 13º]. O que eu mostrei é que tem que haver planejamento. Você vê empresa que fecha porque não tem como pagar. O governo tem que aumentar imposto, e agora já chegou no limite e não pode aumentar mais nem emitir títulos. Uma situação complicada”, afirmou.

 

Leonardo Attuch

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS