A Prefeitura de Feira de Santana recebeu mais de 560 solicitações pra retirada de enxames no ano passado

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
500x300

No ano passado, a Secretaria de Agricultura atendeu pouco mais de 600 chamados para a remoção de enxames em residências ou quintais de casas de Feira de Santana, pelo número 156.

Em janeiro deste ano a Seagri já registrou 12 casos.

A retirada dos enxames é feita pela equipe do SOS Abelhas.

Os insetos são doados a apicultores, que os colocam em caixas especialmente feitas para a produção de mel.

Um dos destinos é a região de Penicaria, no distrito de Jaguara.

A criação de abelhas significa renda extra para os núcleos de agricultores, geralmente formados por pequenos produtores – são cadastrados na Seagri.

O ciclo de vida de uma abelha é de apenas 40 dias.

E a sua produção de mel é uma colher de chá.

Procurar ajuda de técnicos, diz o secretário Joedilson Freitas, é a opção mais segura para quem enfrenta o problema com esta visita inoportuna. “As pessoas não devem importunar as abelhas, que as vezes se tornam violentas e partem para o ataque”.

O ataque de uma abelha pode provocar muito prejuízo à saúde de uma pessoa, caso ela seja alérgica à picada. “Por isso, as pessoas devem se afastar quando estas intrusas chegam”.

Segundo ele, raramente as abelhas entram nas casas.

E que geralmente elas estão de passagem. “Quase sempre em um ou dois dias elas seguem viagem. A não ser que se ambientem no local e fixem moradia”.

Joedilson Freitas ainda disse que muitos enxames são retirados pelo Corpo de Bombeiros ou continuam sua viagem antes da chegada dos técnicos do SOS Abelhas.

PMFS

OUTRAS NOTÍCIAS