Tempo - Tutiempo.net

A canalhice não tem limites: Bolsonaristas espalham que vacina causou mal súbito no piloto do avião de Marília Mendonça

Marília Mendonça e o avião acidentado

A cantora Marília Mendonça, de 26 anos, e mais quatro pessoas morreram na tarde desta sexta-feira (5) após a queda de um avião de pequeno porte perto de uma cachoeira na serra de Caratinga, interior de Minas Gerais.

Poucas horas após a confirmação da tragédia, passaram a circular nas redes sociais fake news sobre o que teria provocado o acidente.

Em uma das mensagens que viralizou, um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sugere que o piloto do avião teria sido acometido por um ‘mal súbito’ por conta da vacina contra a Covid-19.

“Sem politizar nada, mas é algo que cansamos de avisar e com razão. Se essa queda do avião da Marília Mendonça não tiver sido por problema no avião, pode muito bem ter sido por um mal súbito no piloto por efeito da vacina”, publicou o internauta, cujo post ganhou bastante repercussão no meio bolsonarista.

A assessoria da cantora divulgou nota sobre a tragédia: “Com imenso pesar, confirmamos a morte da cantora Marília Mendonça, seu produtor Henrique Ribeiro, seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, do piloto e copiloto do avião, os quais iremos preservar os nomes neste momento.

O avião decolou de Goiânia com destino a Caratinga (MG), onde Marília teria uma apresentação esta noite”.

O Corpo de Bombeiros informou que não houve sobreviventes na queda do avião e que as causas do acidente serão investigadas pelas autoridades competentes.

Posts ‘proféticos’
Fãs da cantora resgataram publicações de Marília Mendonça que agora, infelizmente, soam ‘proféticos’. No dia 4 de maio de 2020 a cantora escreveu a seguinte mensagem no Twitter:

“Gente, mas eu sonhei com água, queda d’água, cachoeira, rio a noite todinha que Deus deu e não mijei na cama”. Na sequência, uma internauta comentou: “Dizem que é morte”.

Em 5 de novembro de 2019, há exatamente dois anos, a cantora postou: “Cada um nas suas dificuldades, eu trocaria qualquer coisa para não ter que ficar pegando avião. Só para ficar pertinho da família. Mas é isso! Somos mais fortes do que imaginamos!”.

A aeronave que levava Marília Mendonça era um bimotor Beech Aircraft, da PEC Táxi Aéreo, de Goiás, prefixo PT-ONJ, com capacidade para seis passageiros. A cantora deixa um bebê de 1 ano.

RPP

É inacreditável que esses canalhas bolsonarista aproveita uma tragédia dessa para fazer política contra a vacina,

Não se precuparam em reconhecer que a aeronave tinha copiloto, qualquer problema com o piloto ele assumiria o comando imediatamente, essa é uma de suas funções.

Esses criadores de Fake News são autenicos criminosos. Deveriam ser presos e afastados do convívio social.

cljornal

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS