Tempo - Tutiempo.net

Fazendeiro e filho morrem em queda de avião; vídeo mostra homem bebendo cerveja e menino pilotando

Essa foto e gravação não foi no dia do acidente

O pecuarista Garon Maia e seu filho, de 12 anos, morreram após a queda do avião bimotor na divisa entre Rondônia e Mato Grosso. Os destroços da aeronave foram encontrados na manhã de domingo (30).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a aeronave decolou do aeroporto de Vilhena (RO) por volta de 17h50 do último sábado. Registros do site Flightaware indicam a perda de sinal cerca de 25 quilômetros após a decolagem, com apenas cinco minutos de viagem.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião é um Beechcraft Baron G58, fabricado em 2011. A aeronave tinha permissão para transportar até cinco passageiros.

Depois de sobrevoos de um grupo de busca e salvamento da Força Aérea Brasileira (FAB) com sede em Campo Grande (MS), militares fizeram buscas em uma área de mata fechada e encontraram os destroços do bimotor e os corpos das vítimas na divisa entre Vilhena e Comodoro (MT).

O Centro de Investigação de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) vai iniciou as investigações sobre os motivos da queda do avião na segunda-feira.

Garon Maia Filho era um pecuarista conhecido na região Norte. Ele era neto de Braulino Maia, mais conhecido como Garon Maia, um dos maiores pecuaristas do Brasil que fundou cerca de 50 fazendas com mais de 40 mil cabeças de gado. O “Rei do Gado”, como se notabilizou, morreu em 2019 aos 93 anos.

Vídeo mostra menino pilotando o avião
Um vídeo (assista abaixo) que circula nas redes sociais mostra a imprudência do pecuarista Garon Maia ao deixar seu filho pilotar o avião. Nas imagens, é possível ver Garon tomando uma garrafa de cerveja.

O registro publicado na rede social de Garon mostra o filho dentro da aeronave de chinelo, enquanto Garon dá os comandos. As imagens são de dias antes da tragédia.

A irresponsabilidade foi comentada pelo experiente piloto Fernando Pamplona, especialista em Treinamento em Simulador SFI na Azul Linhas Aéreas Brasileiras.

“Alguns dizem que há muitas regras na aviação, que seria engessada. Pois bem, se mesmo assim há episódios como este, onde o cara coloca um garoto de 12 anos para voar sem autorização, de chinelo e bebendo cerveja. Imagina se não tivesse regras rígidas”, afirmou.

“A perda de vidas é sempre muito triste, mas a perda de vidas por irresponsabilidade é muito pior. Força à família para superar a dor e se conformar com o absurdo”, acrescentou.

OUTRAS NOTÍCIAS