Relíquia da manjedoura de Jesus Cristo volta para a Terra Santa

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email
Relíquia de madeira que seria da manjedoura onde dormiu Jesus Cristo, segundo a tradição católica, é exposta em Jerusalém nesta sexta-feira (29) — Foto: Mahmoud Illean/AP

Após ter passado quase 1400 anos em Roma, um pequeno fragmento de madeira que teria sido tirado da manjedoura de Jesus Cristo foi exposta em Jerusalém nesta sexta-feira (29).

A relíquia, considerada uma das importantes para os católicos, voltará definitivamente para a cidade de Belém, cidade onde Jesus nasceu (e dormiu na manjedoura) há mais de 2000 mil anos, de acordo com a tradição cristã.

Há relatos de que a relíquia foi enviada a Roma para que ficasse em um local depois que os muçulmanos conquistaram a região ou de que teria sido oferecida como presente para o papa. O fato é que, desde então, ela era propriedade do Vaticano.

Atualmente, o fragmento de poucos centímetros estava exposto na Basílica de Santa Maria Maggiore, na capital italiana.

Foi o Papa Francisco decidiu que o fragmento de madeira, envolto em prata, seria entregue à Custodia Terrae Sanctae, a ordem franciscana responsável pela administração dos locais católicos na Terra Santa.

No sábado, a relíquia deve ser colocada na Igreja de Santa Catarina, perto da Igreja da Natividade, em Belém, na Cisjordânia.

A procedência das relíquias antigas é frequentemente questionada, porém são reverenciadas pelos católicos e sua volta é bastante simbólica para eles.

“Estamos empolgados e agradecemos ao Papa Francisco pelo presente e pelo direito de guardar a santa relíquia”, disse Francesco Patton, custódio da Terra Santa para a Igreja Católica, em comunicado.

A professora Galit Noga-Banai, do departamento de História da Arte da Universidade Hebraica de Jerusalém, explicou ao jornal “Haaretz” que a percepção é de que um pequeno fragmento guarda a santidade da fonte completa (neste caso a manjedoura).

“Isso [a transferência] é importante porque agora em Belém não terá apenas o local [a gruta] em que Jesus nasceu, mas também um remanescente autêntico da manjedoura. É o fechamento de um círculo que contribuirá para a santidade do lugar”, declarou.

Os cristãos representam cerca de 1% da população palestina na Cisjordânia, Gaza e Jerusalém Oriental.

G1

OUTRAS NOTÍCIAS