Tempo - Tutiempo.net

Atitude dos médicos do Clériston Andrade foi desleal diz SESAB

Ao que parece, a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB), foi pega de surpresa com a entrega coletiva dos cargos por um grupo de ortopedistas e cirurgiões do Hospital Geral Clériston Andrade.

 

Em nota, a secretaria lamenta o ocorrido e afirma que a atitude foi premeditada pelo sindicato e que prejudica a população de Feira e região.     

 

Confira a nota:

“A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) lamenta a atitude de ausência intencional ao plantão de cinco cirurgiões do Hospital Geral Clériston Andrade, nesta quarta-feira (2/4) e considera este movimento premeditado um grave desrespeito à população de Feira de Santana e Região, até porque, a mesa de negociação entre a Sesab e o sindicato da categoria estava aberta e caminhava no sentido do acordo. Ademais, a data limite estabelecida pelo Sindmed para o encerramento das negociações estava agendada através de ofício para o dia 14 de maio, elemento que caracteriza como intempestiva e irresponsável a atitude destes profissionais.

Com relação aos impactos desta atitude, a Sesab informa que o Centro Cirúrgico do HGCA funcionou normalmente para cirurgias eletivas, aquelas agendadas previamente, e que as cirurgias de emergência, como as de trauma não hemorrágicos por acidentes, cirurgias de vesícula e apêndice, foram encaminhadas para outras unidades de referência da rede estadual como o HGE, Hospital Roberto Santos, Hospital Geral Ernesto Simões Filho, entre outros. Os pacientes que chegaram com quadro hemorrágico foram atendidos pela equipe do HGCA. Vale acrescentar que os demais serviços da unidade não foram afetados e funcionam normalmente.” (Portal Sesab)

 

Em contrapartida, o caos instalado na maior unidade de saúde que atende pacientes de Feira de Santana e região já perdura há muitos anos, fato que pode ser entendido como uma contradição deste ponto de vista da secretaria de que a atitude foi premeditada. A falta de leitos, material hospitalar e péssima infraestrutura tem sido questionada por muitos segmentos, tanto que a possibilidade de terceirização da unidade foi cogitada em 2013. Resta saber que medidas o governo e a sesab adotarão para suprir estas ausências no atendimento à população.

 

 

 

Fonte: Redação com informações da SESAB/ Foto: Web

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS