Casos de sífilis aumentam em Feira e deixa preocupa especialistas

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Os números de diagnósticos de pessoas portadoras da sífilis, doença sexualmente transmissível, vêm aumentando em Feira de Santana, seguindo uma tendência nacional. O alerta foi emitido em capacitação realizada pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica para os enfermeiros responsáveis das unidades de saúde do município, nesta quarta-feira, 2.

De janeiro até o mês de outubro já foram diagnosticados 150 casos em pessoas adultas. A quantidade deve ultrapassar os dados de 2014, que foi de 178 casos. Somente na terça-feira, 1º de dezembro, 150 pessoas realizaram o teste rápido para DST/Aids. Destes, 15 apresentaram o vírus da sífilis, o que dá 10 por cento. Com isso, em 2015 já chega a 165 casos.

Os dados foram apresentados pela enfermeira supervisora do Programa DST/HIV/Aids de Feira de Santana, Caroline Oliveira. “Os dados comprovam que os números de nossa cidade estão altos. Não há um dia que não diagnosticamos alguém com a doença”, ressaltou a enfermeira.

A capacitação teve como base a atualização sobre a doença, destacando para as enfermeiras das unidades de saúde como realizar o tratamento, principalmente em mulheres grávidas. Diversos profissionais de referência palestraram sobre o tema durante a manhã.

“A doença pode ser tratada pelos profissionais da atenção básica. Isso pode se resolver com a realização do pré-natal para as mulheres, evitando que as crianças tenham várias seqüelas no nascimento. Além também de alertar as pessoas para a prevenção na hora do sexo, que ainda é a maior via de transmissão da doença”, enfatiza Caroline Oliveira.

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS