Crise no HGCA: médicos ameaçam entregar cargos

Médicos clínicos de emergência do Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana estão ameaçando entregar os cargos se não houver melhoras nas condições de trabalho na unidade de saúde.
Os profissionais enviaram uma carta à direção geral da unidade no dia 31 de maio, pedindo melhorias na estrutura de atendimento do hospital. De acordo com os médicos, o número total de profissionais da área é insuficiente para atender a todos os pacientes.
No requerimento, os médicos pedem a presença na emergência, durante 24 horas por dia, de uma equipe de quatro médicos, um fisioterapeuta, dois enfermeiros e cinco técnicos de enfermagem. De acordo com eles, isso é o básico para que os pacientes tenham uma atendimento adequado e o Hospital Clériston Andrade não dispõe de profissionais suficientes por enquanto.
Os médicos também querem a entrega dos exames laboratoriais em, no máximo, duas horas após a coleta. Atualmente, o procedimento chega a ser realizado em 12 horas. Indignados com a atual situação, os profissionais se reuniram e decidiram que, dentro de trinta dias da entrega desse documento à diretoria do hospital, se o pedido não for acatado, eles deixarão o cargo à disposição do Clériston Andrade.
O diretor geral do hospital, Ricardo Bial, disse que desconhecia o documento enviado pelos médicos. Ele afirmou ainda que o hospital tem passado por melhorias e que o governo do estado tem investido no crescimento da unidade.

Fonte: Redação / Correio

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS