Insulina lantus vai continuar a ser oferecida

Os cerca de 400 diabéticos cadastrados e que já recebem a insulina lantus, no CADH (Centro de Atendimento ao Diabético e Hipertenso), continuarão a ser atendidos normalmente pelo programa. Os novos pacientes deverão procurar a 2ª Dires, onde serão orientados como proceder para ter acesso ao medicamento, que deve ser tomado diariamente.
Até o mês passado, o município ofertava este tipo de insulina para quem precisasse. Mas uma decisão judicial obriga que esta dispensação seja feita pelo estado e a União. O problema é que estes pacientes, para ter acesso ao remédio que lhes é indispensável, passaram a enfrentar a burocracia, que antes desconheciam.
Eles deverão apresentar documentos pessoais, formulários preenchidos pelo médico prescritor, exames laboratoriais, o tratamento atual, preencher formulários de solicitação de análogo de insulina, informações clínicas, avaliação de núcleo de análogos – Cedeba e Sesab, acompanhamento nutricional e termo de consentimento informado.
“A insulina lantus é indicada para pacientes que apresentam hipoglicemia e que não conseguem controlá-la”, explica a médica endocrinologista Suzete Matos, que trabalha no CADH. A queda neste índice aumenta os riscos de problemas cardiológicos ou AVC. Também devem tomá-la os renais crônicos.
Para o centro de atendimento são encaminhados os pacientes descompensados e com outras complicações de saúde. “O programa faz diferença no tratamento, porque a insulina é de longa duração e não apresenta problemas de pico”, comenta a médica. É um medicamento de alto custo e a sua dispensação está condicionada à apresentação de protocolo clínico.

Fonte: Secom

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS