Carlos Lima
Hoje dia 19/09/2019 às 14:31:19

Reportagem Especial
Carlos Lima | Publicado em 11/11/2015 às 19:33:16

NOS BASTIDORES DA MAÇONARIA IX

Uma visão e uma realidade sobre a Maçonaria

NOS BASTIDORES DA MAÇONARIA IX Vida e realidade Maçônica

Não é preciso repetir a definição acadêmica, todos já sabem. Mas podemos relembrar que a Maçonaria em nosso país tem por objetivo o aperfeiçoamento material moral e intelectual da humanidade, através da investigação constante da verdade científica, do culto inflexível da moral e da prática desinteressada da solidariedade.

Nem todos possuem esse comprometimento, quer seja pelo trabalho manual ou intelectual, entretanto todos não desconhecem que a Ordem mantém as divisas de Liberdade, Igualdade e Fraternidade, sustentando como seu princípio norteador a mais completa liberdade de consciência, pela prática inflexível da tolerância que se traduz pelo respeito à Razão e às convicções individuais de cada um.

Comportamento que nem todos incorporam. Muitos exigem e poucos cumprem.  Uma parte deles não reconhece o direito de manifestar opinião sobre questões Maçônicas de ordem geral.

Um número reduzido se acha no direito de ensinar pela palavra, mas os exemplos são inadequados e inadmissíveis nas Oficinas.

Todos os Maçons têm a obrigação de considerar-se, entre si, iguais e irmãos, só havendo entre eles as diferenças que decorrem da prática da virtude e da prestação de serviços à Ordem, que determinam a distinção de graus, significativos de honras e proporcionando maior responsabilidade correlata.

Entretanto, um número reduzidíssimo poderia levar a cabo o mútuo auxílio e socorro, com o risco de quaisquer perigos e da própria vida (atualmente utópico. No passado, real).

A Maçonaria cuja origem se perde na noite dos tempos, sempre teve por especial intento, unir todos os homens de boa vontade que, convencidos da necessidade de render sincero culto à virtude, procuram meios de propagar o que a sã moral nos ensina.

Diante do entendimento Maçônico estamos sempre prontos para o cumprimento inflexível do dever, tentando corrigir as imperfeições internas e tolerando as externas, na esperança da construção de uma humanidade mais feliz.

Carlos Lima

Comentários

comentários

Veja também