Carlos Lima
Hoje dia 10/12/2018 às 17:48:43

Feira
Carlos Lima | Publicado em 10/10/2018 às 10:41:13

Prática esportiva reduziu número de conflitos na Escola Chico Mendes

Prática esportiva reduziu número de conflitos na Escola Chico Mendes foto: Escola Chico Mendes

A prática de esportes vem conseguindo praticamente zerar o índice de conflitos na Escola Municipal Chico Mendes, que fica no bairro Campo Limpo. A constatação é da equipe de professores que promove anualmente o Festival de Práticas Corporais, agora na décima edição. Na sexta-feira.

os estudantes do Ensino Fundamental II participam da culminância das atividades, que foram iniciadas em julho em virtude da Copa do Mundo.

De acordo com a organização, o festival estimula desde sua primeira edição a boa convivência entre os alunos. Nos últimos cinco anos, a equipe gestora percebeu que o evento tornou-se fator definitivo para que a escola reduzisse praticamente a zero o número de desentendimentos registrados entre os alunos.

No ano de 2012, a escola registrou 347 casos de conflitos, dentre os quais, agressões físicas, verbais e típicas ocorrências de bullying, como apelidos maldosos; ano passado, 2017, o índice caiu para apenas sete.

Diversos aspectos são apontados pela equipe pedagógica como preponderantes para a mudança comportamental. Liamara Martfeld, professora de educação física e também articuladora da área de linguagens da unidade de ensino, explica que o aumento do número de modalidades esportivas é um desses aspectos.

“Temos alunos que não gostam de esportes; mas se não gosta de futsal, tem boliche ou xadrez, ou quebra-cabeças, ou perguntas e respostas.

Nosso objetivo é dar aos estudantes opções de escolha variada e ainda espaço para todo tipo de comportamento”, argumenta.

Sensação de pertencimento

De acordo com a professora, quando os adolescentes se sentem pertencentes, são mais ativos, querem participar de pelo menos uma modalidade. “Consequentemente a agressividade diminui, por que eles querem que tudo ocorra da melhor forma; reconhecem que sem o outro não há competição”, explica Liamara.

Em suas primeiras edições, o projeto atendia pelo nome de Jogos Olímpicos Estudantis e contemplava apenas dez modalidades esportivas.

Há três anos, com o intuito de envolver também um número maior de estudantes, a equipe pedagógica da escola resolveu aumentar e diversificar as atividades oferecidas.

Ao longo deste ano, os alunos tiveram atividades de várias modalidades esportivas e não esportivas durante as aulas de educação física e recreios interativos.

Dentre as 30 atividades há oferta de basquete, vôlei, futsal, baleado, boliche, boxe, dança, jogos de damas, xadrez e de perguntas e respostas.

O objetivo do projeto é cumprir duas metas estabelecidas nas estratégias pedagógicas da escola: a boa convivência entre os alunos e o estímulo do movimento e do equilíbrio com o próprio corpo.

Alunos aprendem a respeitar as regras

Segundo Ana Virginia de Araújo, diretora da escola, a disciplina exigida na prática esportiva se estendeu ao comportamento geral dos alunos. “Os jogos têm regras.

Se eles não cumprem, sofrem punição; têm que respeitar a hora de sentar, de ouvir, de falar, de assistir”, pontua.

No âmbito pedagógico, a diretora cita “a disputa” pelo conhecimento. “Eles respondem a variadas perguntas sobre ciências, história, geografia, etc., dentre questões abertas e fechadas.

Ninguém é impedido de participar, porém esta modalidade exige mais horas de estudo; o resultado tem sido ótimo”, avalia. A competição entre as turmas marcou a culminância nessa sexta-feira; os alunos do 9º ano conquistaram o primeiro lugar, levando troféu e medalhas.

PMFS

Comentários

comentários

Veja também