Troca na Receita pode blindar Flávio Bolsonaro

Foto: Divulgação

“Em poucas semanas, Jair Bolsonaro desmontou o Coaf, fritou o diretor da Polícia Federal e indicou um aliado para a Procuradoria-Geral da República. Agora chegou a vez de mexer no comando da Receita. O presidente atribuiu a demissão de Marcos Cintra ao projeto da nova CPMF. É uma versão capenga, que não explica a troca abrupta. Na segunda-feira, o ministro Paulo Guedes também defendeu a recriação do imposto. Chegou a fornecer detalhes sobre alíquotas e previsão de arrecadação”, diz o colunista Bernardo Mello Franco.

Ele aponta que o motivo real pode ser outro. “O capitão tem um motivo mais próximo para se incomodar. A Receita participava ativamente das investigações que envolvem o senador Flávio Bolsonaro, suspeito de embolsar salários de assessores. O caso está paralisado por decisão do ministro Dias Toffoli”, afirma.

 Brasil  247
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS