Carlos Lima
Hoje dia 17/11/2019 às 06:21:17

Legislativo
Carlos Lima | Publicado em 18/06/2019 às 09:01:21

Crise interna na Economia afasta apoio do Congresso

Crise interna na Economia afasta apoio do Congresso Rodrigo Maia e Paulo Guedes

A saída de Joaquim Levy da presidência do BNDES acendeu uma nova crise interna dentro do governo de Jair Bolsonaro (PSL), o Ministério da Economia de Paulo Guedes, uma pasta que luta por garantir os esforços de unilateralidade junto ao Congresso para aprovar a reforma da Previdência da maneira que querem.

A demissão de Levy paralelamente às críticas de Guedes à Camara dos Deputados, que manifestou insatisfação à retirada do modelo de capitalização da reforma da previdência no texto apresentado pelo deputad

o Samuel Moreira (PSDB-SP), na semana passada na Comissão Especial, afastaram as tentativas de proximidade do governo com os parlamentares.

Porque apesar das próprias tratativas de Jair Bolsonaro, desde a criação de seu Ministério no fim do ano passado, com os cargos e emendas parlamentares oferecidos para obter apoio à reforma, o governo ainda precisava de um bom trânsito junto aos deputados para que eles aprovassem o impopular texto de Guedes.

E é exatamente sobre isso que o presidente da Camara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tratou quando comentou os recentes acontecimentos, seja as declarações de Guedes criticando os deputados, seja a saída de Levy da presidência do BNDES após os conflitos com Guedes na pasta.

Primeiro, Maia voltou as criticas a Guedes afirmando que o ministro teria cometido “uma covardia sem precedentes”, após a saída de Levy, logo após Bolsonaro dizer que a cabeça do então presidente do BNDES estava “a prêmio”, forçando-o demitir Marcos Pinto, da diretoria de Mercado de Capitais

GGN

Comentários

comentários

Veja também