Carlos Lima
Hoje dia 26/04/2019 às 02:22:36

Nacional
Carlos Lima | Publicado em 12/04/2019 às 11:15:26

Museu de História Natural de NY avalia cancelar evento em homenagem a Bolsonaro

Museu de História Natural de NY avalia cancelar evento em homenagem a Bolsonaro Mauro Pimentel - 11.abr. 2019/AFP

 O Museu Americano de História Natural em Nova York, onde seria realizada a premiação de “homem do Ano” para o presidente Jair Bolsonaro, afirmou no Twitter que aceitou a reserva antes de saber quem era o homenageado e está “avaliando as opções”.

“A reserva do museu para a realização do evento externo, privado, em homenagem ao atual presidente do Brasil foi feita antes que se soubesse quem seria o homenageado. Estamos profundamente preocupados, e estamos avaliando nossas opções”, disse o museu em sua conta oficial no Twitter.

A cerimônia de premiação de Bolsonaro como “Pessoa do ano” da Câmara de Comércio Brasil Estados Unidos está marcada para 14 de maio e já foi divulgado o local do evento, o Museu Americano de Historia Natural.

Muitos usuários comentaram o tuíte do museu dizendo “cancele”.

“Como pesquisador brasileiro, é revoltante que um indivíduo que despreza a ciência como ele seja homenageado por uma instituição científica. Vocês precisam cancelar pelo bem dos pesquisares brasileiros, eles está literalmente nos fazendo deixar o país”, comentou o usuário identificado como Alexandre Palaoro.

Quando a escolha de pessoa do ano foi anunciada, o presidente comemorou em suas redes sociais e disse que se sentia honrado em receber o prêmio.

Aliados de Bolsonaro nos EUA já preparam um roteiro da viagem do presidente ao país para receber a homenagem em um jantar de gala marcado para 14 de maio, em Nova York.

Querem que, além do jantar, ele participe de outros compromissos na cidade, mas nada ainda foi fechado.

O ministro da Economia de Bolsonaro, Paulo Guedes, também estará em Nova York para uma palestra a empresários e investidores.

Todos os anos, a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos escolhe duas personalidades, uma americana e outra brasileira, e as homenageia diante de cerca de mil convidados, com entradas ao preço individual de US$ 30 mil. O nome do americano homenageado este ano ainda não foi divulgado.

Em comunicado divulgado em fevereiro, a Câmara diz que a escolha de Bolsonaro como pessoa do ano é um “reconhecimento de sua intenção fortemente declarada de fomentar laços comerciais e diplomáticos mais próximos entre Brasil e EUA e seu firme comprometimento em construir uma parceria forte e duradoura entre as duas nações.”

Em março, Bolsonaro esteve em Washington para diversos encontros com personalidades alinhadas a seu campo ideológico conservador e uma reunião com o presidente até americano, Donald Trump.

No ano passado, o eleito foi Sergio Moro, hoje ministro da Justiça.

A personalidade americana escolhida em 2018 foi Michael Bloomberg, ex-prefeito de Nova York e dono de uma das maiores fortunas dos EUA.

FOLHAPRESS

Comentários

comentários

Veja também