Carlos Lima
Hoje dia 22/10/2018 às 03:54:25

Região
Carlos Lima | Publicado em 21/02/2018 às 15:41:40

Trabalhadores de obra do metrô bloquearam Av. Paralela, em Salvador

Trabalhadores de obra do metrô bloquearam Av. Paralela, em Salvador Manifestantes caminham em frente aos carros (Foto: Reprodução/SSP-BA)

rabalhadores da obra do metrô fizeram uma manifestação na manhã desta quarta-feira (21). O grupo caminhou na Avenida Paralela por volta das 9h e deixou o trânsito congestionado em uma das principais vias da capital baiana, conforme a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador).

O ato foi finalizado por volta das 12h. Uma hora depois o trânsito já havia sido normalizado na avenida.

O grupo, que partiu do canteiro de obras do sistema de transporte em Lauro de Freitas, na região metropolitana, caminhou até o Centro Administrativo da Bahia (CAB), na capital baiana, onde fizeram uma assembleia.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem Industrial (Sintepav), o protesto é para reivindicar o cumprimento de itens de segurança e saúde no trabalho, além da falta de pagamento dos terceirizados.

Por meio de nota, a CCR Metrô Bahia informou que respeita o direito à manifestação do sindicato, mas que desconhece a pauta de reivindicações dos trabalhadores terceirizados convocados para a assembleia na manhã desta quarta-feira.

Disse também que a concessionária foi notificada sobre a paralisação das atividades desta quarta-feira, mas não foi oficialmente comunicada sobre os pontos reivindicados para análise e negociação. A concessionária informou ainda que preza pelos direitos trabalhistas, cumpre as responsabilidades relacionadas aos funcionários terceirizados e já está mantendo diálogo com o sindicato da categoria para solucionar a questão.

Durante o ato na manhã desta quarta-feira, os manifestantes bloqueiaram a pista no sentido centro e caminham na frente dos carros. Eles carregaram faixas e cartazes.

Além disso, o sindicato informou também que, enquanto a manifestação durar, as atividades estão paralisadas na obra de Lauro de Freitas.

G1

Comentários

comentários

Veja também