Carlos Lima
Hoje dia 26/02/2020 às 04:58:21

Saúde
Carlos Lima | Publicado em 13/01/2020 às 10:51:55

Vigilância Sanitária recolhe cervejas de lote investigado em Minas

Vigilância Sanitária recolhe cervejas de lote investigado em Minas Dietilenoglicol foi encontrada em cervejas da Backer, mas empresa diz que não usa substância tóxica no processo Foto: O Tempo / FOTO : Cristiane Mattos / O Tempo

A Vigilância Sanitária de Belo Horizonte começa a recolher unidades da Belorizontina, cerveja produzida pela Backer, nesta segunda-feira (13), somente de quem tem o produto em casa. A medida não vale para donos de supermercados, bares e restaurantes. (veja os endereços no final desta reportagem)

O Instituto de Criminalística encontrou em duas garrafas do lote 1348, das linhas de produção L1 e L2, uma substância tóxica chamada dietilenoglicol, usada em serpentinas no processo de refrigeração de cervejas. A Polícia Civil de Minas Gerais investiga se o consumo de cerveja Belorizontina tem relação com a internação de oito homens por uma doença desconhecida – um deles morreu.

Nesta quinta-feira (9), investigadores recolheram material para fazer perícia na cervejaria Backer, no bairro Olhos D’Água, na Região Oeste de Belo Horizonte. A polícia informou que o material está sendo periciado nesta sexta.

Já o laudo que confirmou, nesta quinta, a presença de dietilenoglicol foi feito após perícia nas garrafas recolhidas nas casas dos pacientes que estão internados. Segundo a Polícia Civil, ainda não há como confirmar a responsabilidade da empresa no caso.

Nesta tarde, a cervejaria afirmou que nunca usou a substância tóxica encontrada em garrafas da bebida que foram recolhidas em casas de pacientes internados com síndrome misteriosa. A Backer não informou, no entanto, quantas garrafas desse lote foram produzidas.

O Procon-MG pediu que os consumidores que têm cervejas destes lotes em casa não consumam os produtos. O recolhimento das garrafas pela Backer deve ser solicitado pelo telefone (31) 9 9536-4042.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) recebeu nove notificações da síndrome até então chamada de nefroneural. De acordo com a pasta, um caso foi descartado.

Sete pacientes estão internados com os sintomas e um homem morreu em Juiz de Fora, na Zona da Mata. O Ministério da Saúde confirmou que Belo Horizonte é o local provável de exposição de todos os casos.

Confira os endereços de entrega:

  • Barreiro: Avenida Olinto Meireles, 327 – Barreiro
  • Centro-Sul: Avenida Augusto de Lima, 30 – 14ª Andar – Centro
  • Leste: Rua Salinas, 1.447 – Santa Tereza
  • Nordeste: Rua Queluzita, 45 – Bairro São Paulo
  • Noroeste: Rua Peçanha, 144, 5º Andar – Carlos Prates
  • Norte: Rua Pastor Murilo Cassete, 85 – São Bernardo
  • Oeste: Avenida Silva Lobo, 1.280, 5º Andar – Nova Granada
  • Pampulha: Avenida Antônio Carlos, 7.596 – São Luiz
  • Venda Nova: Avenida Vilarinho, 1.300 – 2º Piso – Parque São Pedro

G1

Comentários

comentários

Veja também