Clima frio deve adiar a colheita de algodão

A Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea) estima que poderá haver atraso de pelo menos um mês na colheita de algodão no Brasil nesta safra 2013/14. Os trabalhos costumam ter início entre junho e julho em Mato Grosso, maior produtor nacional da pluma. Mas a possibilidade de que as temperaturas caiam abaixo do normal tende a afetar o cronograma. Porém, o atraso não deverá provocar alta dos preços da pluma no mercado interno, já que demanda está fraca nos mercados internacional e doméstico.

 

O presidente da Anea, Marco Antonio Aluisio, disse que há uma certa lentidão na comercialização da safra que será colhida. Até agora, 50% das 1,6 milhão de toneladas esperadas foram vendidas. Segundo ele, indústrias consumidoras de algodão no mundo todo estão comprando a pluma “da mão para a boca”. No mercado interno, afirma Aluisio, a demanda das empresas também está mais tímida do que o esperado. A Anea estima que o consumo mensal esteja na casa das 68 mil toneladas mensais, quando o volume esperado seria de 71 mil toneladas.

 

“Isso nos mostra uma tendência de retração nos preços mais à frente, quando a produção, de fato, começar a entrar no mercado”, afirma Aluisio. Em maio, mesmo em plena entressafra, os preços domésticos da pluma já recuaram cerca de 4%. Até agora a qualidade da safra foi preservada, mas o frio também poderá prejudicá-la.

Fonte: Portal agronegócio/ Foto: web

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on email

OUTRAS NOTÍCIAS