Longa estiagem prejudica cisternas

O longo período de estiagem pode gerar um problema adicional para as famílias que vivem na zona rural: as paredes das cisternas, devido ao calor, podem rachar e, assim, ficarem inviabilizadas para o acúmulo de água.

Nos últimos anos muitas cisternas foram construídas na zona rural de Feira de Santana. Águas das chuvas, que são direcionadas por bicas, enchem estes equipamentos, que tem capacidade para acumular mais de 15 mil litros.

“É uma mão na roda quando os períodos de estiagem são intercalados pelas trovoadas”, afirma o secretário de Agricultura, Ozeny Moraes. “O problema é que a grande maioria destas cisternas já está vazia”, constata.

Quando adequadamente manuseados, estes equipamentos armazenam e mantém a qualidade da água durante alguns meses – o período está diretamente relacionado ao consumo da família.

Por estar vazia, o calor e a umidade interna podem comprometer a estrutura do reservatório. Parte dele fica enterrada no solo. “Se a parede rachar a água vai escorrer rapidamente por esta saída”, comenta o secretário.

Ele orienta que os donos destes equipamentos devem ficar atentos a possíveis problemas que apareçam na estrutura das cisternas. “E intervir imediatamente porque o tempo muda a qualquer momento”.

Fonte: Secom

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

OUTRAS NOTÍCIAS